Acidentes e Desastres

Quinze feridos em acidente na Via do Infante

Um acidente na Via do Infante, em Loulé (Algarve), envolvendo um autocarro de passageiros e uma betoneira, provocou vários feridos e obrigou ao corte da via no sentido Loulé-Faro.

LUÍS FORRA/LUSA

Quatro pessoas ficaram feridas com gravidade e 11 sofreram ferimentos ligeiros no acidente ocorrido hoje entre um autocarro de passageiros e uma autobetoneira na Via do Infante, em Loulé (Algarve), indicou o INEM no local. Os feridos foram transportados para o hospital de Faro, capital de distrito.

De acordo com o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), entre os feridos ligeiros está uma criança de nove anos, tal como o condutor do autocarro, a última pessoa a ser desencarcerada do veículo. As operações de desencarceramento das vítimas terminaram pelas 10:30, altura em que foi retirada a última pessoa, o motorista do autocarro.

De acordo com fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro, o alerta para a colisão foi dado pelas 07h54 e, cerca das 08h45, duas vítimas estavam encarceradas no interior do autocarro, que transportava 15 pessoas.

A colisão na Via do Infante (A22) ocorreu antes do Túnel do Areeiro, no concelho de Loulé, distrito de Faro e obrigou ao corte da via no sentido Loulé-Faro, informou a Proteção Civil.

O INEM tem no local pelo menos quatro viaturas médicas de emergência e reanimação e uma ambulância de suporte imediato de vida. Pelas 09h30 estavam no local do acidente 78 operacionais apoiados por 32 veículos. Os meios de socorro envolvem elementos dos bombeiros de Loulé, Albufeira, Olhão, São Brás de Arportel e São Bartolomeu de Messines, dos voluntários (Cruz Lusa) e sapadores de Faro, da EuroScut, GNR, INEM e Cruz Vermelha Portuguesa.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Empresas

Accionista e operador de máquinas: bons amigos?

Rui Esperança

A perpetuação do modelo da melhoria dos resultados das empresas à custa dos salários baixos e do consequente enriquecimento dos accionistas tem de mudar. Sem as pessoas, as empresas são pouca coisa.

Abusos na Igreja

Mr. McCarrick, I presume? /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Quando a Igreja castiga os clérigos pedófilos, com o máximo rigor que a lei canónica permite, age de acordo com o exemplo e a doutrina do seu divino Mestre.

Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)