As obras dos artistas Kazimir Malevich, com 71,9 milhões de euros, e Constantin Brancusi, com 59,5 milhões de euros, bateram recordes pessoais no leilão de arte moderna da Christie’s que decorreu na terça-feira à noite, em Nova Iorque.

“Suprematist Composition” é a obra em óleo sobre tela do artista vanguardista russo Kazimir Malev (1878-1935), que foi arrematada por um valor total de 71.922.672 euros, segundo os resultados divulgados pela leiloeira. A peça de Constantin Brancusi (1876-1957) “La jeune fille sophistiquée (Portrait de Nancy Cunard)” também estabeleceu um recorde mundial para o artista com um valor final de 59.507.761 euros.

O quadro de Vincent Van Gogh (1853-1890) “Vue de l’asile et de la Chapelle de Saint-Rémy”, que partia com estimativa de 29 milhões de euros, acabou por ser arrematado por 33.263.581 milhões de euros. A obra tinha sido propriedade da atriz Elizabeth Taylor durante 50 anos.

Para este leilão estava prevista a venda de um quadro raro de Pablo Picasso (1881-1973), com uma estimativa de 58 milhões de euros, mas que acabou por ser retirado porque se encontrava danificado.

Retirado quadro de Picasso que iria a leilão por estar danificado

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Le Marin”, pintado em 1943, era uma das estrelas do leilão de arte moderna que a Christie’s realiza hoje, mas a leiloeira foi forçada a retirá-lo quando reparou no dano durante a preparação da obra para venda. De acordo com os especialistas, o quadro poderá ser um autorretrato de Picasso devido às parecenças da figura da peça, propriedade do magnata dos casinos Steve Wynn. O quadro deverá ser agora restaurado, mas a Christie’s não indicou se irá trazê-la novamente a leilão.