Calçado

Porto acolhe “o mais prestigiado” congresso mundial do setor do calçado

Profissionais de 33 países participam, no Porto, no 20.º Congresso da União Internacional de Técnicos da Indústria do Calçado (UITIC), considerado "o mais prestigiado" a nível mundial.

HUGO DELGADO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Perto de cinco centenas de profissionais de 33 países participam esta quinta e sexta-feira, no Porto, no 20.º Congresso da União Internacional de Técnicos da Indústria do Calçado (UITIC), considerado “o mais prestigiado” encontro do setor a nível mundial.

Promovido pela Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos (APICCAPS) e pelo Centro Tecnológico do Calçado de Portugal (CTCP), o congresso tem como tema central “From Fashion to Factory: A New Technological Age” (Da Moda à Fábrica: Uma Nova Era Tecnológica) e foi precedido de três dias de visitas a fábricas portuguesas.

Poucas semanas depois de a APICCAPS ter apresentado o projeto FOOTure 4.0, em que mediante um investimento de 50 milhões de euros a indústria portuguesa do calçado se propõe afirmar como a grande referência internacional na utilização de novas tecnologias, o congresso internacional da UITIC contará com a participação de oradores de primeiro plano de mais de 15 países, promete a organização.

“É o regresso ao Porto do maior evento técnico do setor de calçado no plano internacional”, destaca a APICCAPS, recordando que a primeira vez que o congresso mundial da UITIC se realizou em Portugal foi em 1996. Para o presidente esta associação, Luís Onofre, “a realização do mais relevante congresso mundial em Portugal é sinónimo do prestígio internacional que o setor conquistou no passado recente”.

Segundo o diretor-geral do Centro Tecnológico do Calçado, Leandro de Melo, neste intervalo de tempo “praticamente tudo se alterou na indústria portuguesa”: “Nos anos 90 Portugal ambicionava ser uma referência na indústria de calçado no plano internacional. Nesse período, iniciaram-se os primeiros investimentos em I&D [Investigação & Desenvolvimento], nomeadamente com o projeto FACAP -Fábrica de Calçado do Futuro. Hoje, já exportamos tecnologia para todo o mundo, evoluímos do ponto de vista técnico e tecnológico, o que nos permitiu oferecer ao mercado soluções de excelência”, explicou.

De que modo a tecnologia digital moderna está a transformar o comportamento do consumidor, estarão as empresas preparadas para esta nova revolução digital, de que forma se interligarão os modelos de negócio tradicionais com o advento das vendas ‘online’ e que novas soluções tecnológicas suportarão a nova era digital nos próximos anos serão algumas das questões em debate no congresso.

Em cima da mesa estarão ainda temas como “Novos produtos e novos serviços ligados às necessidades dos consumidores”, “Desenvolvimento inteligente e produção”, “Sustentabilidade, transparência da cadeia de abastecimento e tendências regulatórias que afetam as fábricas” e “Fábricas centradas no homem e novas formas de gestão”.

O congresso mundial do calçado arranca hoje, mas entre segunda e quarta-feira desta semana os participantes visitaram “mais de uma dezena de empresas portuguesas de referência”, satisfazendo a “enorme curiosidade” demonstrada relativamente à indústria portuguesa de calçado”.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Partidos e Movimentos

Uma alternativa à Geringonça

Carlos Guimarães Pinto
277

As hipóteses eleitorais da Iniciativa Liberal são as de um partido novo sem figuras do sistema politico-mediático nem apoio de um grupo de comunicação como sucede com Santana/Impresa e Ventura/Cofina.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)