Venezuela

Mais de 20,5 milhões elegem Presidente da Venezuela

Além do atual Presidente Nicolás Maduro, candidatam-se também Henri Falcón (dissidente do chavismo), o pastor evangélico Javier Bertucci e o engenheiro Reinaldo Quijad.

Miguel Gutierrez/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Mais de 20,5 milhões de venezuelanos são chamados este domingo às urnas para eleger o Presidente da República, que dirigirá a Venezuela até 2025.

Há quatro candidatos, entre os quais o atual Presidente Nicolás Maduro. Na lista figuram ainda Henri Falcón (dissidente do chavismo), o pastor evangélico Javier Bertucci e o engenheiro Reinaldo Quijada.

A aliança opositora Mesa de Unidade Democrática não apresentou qualquer candidato.

Nas mesmas eleições, os venezuelanos vão ainda eleger mais de 500 membros dos concelhos legislativos regionais dos 23 estados do país, com exceção do Distrito Capital, Caracas, onde não existe essa figura.

Segundo o Conselho Nacional Eleitoral, 20.526.978 de venezuelanos estão habilitados para votar. No estrangeiro estão recenseados 101.595 eleitores a maioria deles em países da Europa.

Foram instaladas 34.143 mesas eleitorais em 14 mil centros de votação da Venezuela, que vão abrir pelas 06:00 locais e encerrar pelas 18:00 locais (mais quatro horas e meia em Lisboa), permanecendo abertos os que tenham eleitores à espera para votar.

O processo eleitoral vai ser acompanhado por missões de observadores de Angola, Etiópia, Mali, Moçambique, Palestina, República Dominicana, Rússia, África do Sul e Suriname.

No país encontra-se também o ex-presidente do Governo de Espanha José Luís Rodríguez Zapatero.

As fronteiras com a Colômbia, a Guiana e o Brasil foram encerradas na noite de sexta-feira e vão ser reabertas na noite de segunda-feira.

Trezentos mil oficiais das Forças Armadas Venezuelanas têm a missão de garantir a segurança do material eleitoral e dos centros de votação, ao abrigo da operação Plano República, na qual participa também o Ministério Público.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
NATO

Os 70 anos da NATO, vistos da Europa


João Diogo Barbosa

Não só o “exército europeu” se tornou um dos temas essenciais para o futuro, como foi possível, pela primeira vez, a aprovação de um Programa Europeu de Desenvolvimento Industrial no domínio da Defesa

NATO

Os 70 anos da NATO, vistos da Europa


João Diogo Barbosa

Não só o “exército europeu” se tornou um dos temas essenciais para o futuro, como foi possível, pela primeira vez, a aprovação de um Programa Europeu de Desenvolvimento Industrial no domínio da Defesa

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)