Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Tribunal de Contas (TdC) concedeu esta quinta-feira o visto para o contrato de locação de 12 aviões de combate a incêndios, segundo divulgou o Ministério da Administração Interna em nota enviada à comunicação social. Estes 12 aviões juntam-se a 13 que já estavam disponíveis, havendo assim neste momento 25 meios aéreos disponíveis para operar, o que já se aproxima mais dos 32 que deveriam estar disponíveis desde 15 de maio.

Os 12 aviões cujos contratos foram esta quinta-feira autorizados pelo TdC são: quatro aviões médios anfíbios para operação até  dezembro de 2019 – sediados em Proença a Nova e Viseu; dois aviões médios anfíbios para operação nos períodos de maio a outubro de 2018 e de 2019 – sediados em Vila Real;  dois aviões médios anfíbios para operação nos períodos de  junho a outubro de 2018 e de 2019 – sediados em Ponte de Sor; dois aviões pesados anfíbios para operação nos períodos de  maio a outubro de 2018 e de 2019 – sediados em Seia; e dois aviões ligeiros de coordenação para operação nos períodos de maio a outubro de 2018 e de 2019 – sediados em Ponte de Sor e em Santa Comba Dão.

Além dos 13 meios aéreos já prontos a voar, estão ainda sujeitos a vistos do Tribunal de Contas 28 helicópteros ligeiros e médios.

O Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) obriga a um reforço de meios desde maio de 2015. No que diz respeito aos meios aéreos, em vez de 20 aeronaves, deveriam estar operacionais neste momento 32 aeronaves (mas continuam a estar apenas 25).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR