Nobel da Literatura

Prémio Nobel da Literatura pode também não ser entregue em 2019

Lars Heikensten, diretor da Fundação Nobel, disse que o prémio literário só "será atribuído quando a Academia Sueca recuperar a confiança do público". "2019 não é o prazo limite", considerou.

Lars Heikensten, diretor da Fundação Nobel, considera que é melhor esperar pelo momento mais adequado para voltar a atribuir o prémio literário

AFP/Getty Images

Depois de ter sido anunciado que o Prémio Nobel da Literatura não seria atribuído em 2018, na sequência dos escândalos que abalaram a Academia, o diretor da Fundação Nobel veio agora dizer que existe também a possibilidade de o galardão não ser entregue em 2019. Em entrevista à estação de rádio sueca Sveriges, neste sábado, Lars Heikensten disse que o Prémio Nobel só “será atribuído quando a Academia Sueca recuperar a confiança do público”, o que significa que “2019 não é o prazo limite”.

No início de maio, a Academia Sueca, responsável pela atribuição do prémio literário, anunciou que este não será atribuído em 2018 devido à denúncia de abusos sexuais, agressões e a acusações de irregularidades nas finanças na instituição. O escândalo começou em novembro do ano passado quando o diário sueco Dagens Nyheter publicou uma reportagem com denúncias de 18 mulheres que teriam sido abusadas sexualmente pelo dramaturgo Jean-Claude Arnault, ligado à Academia através do seu clube literário e casado com um dos seus membros, a escritora Katarina Frostenson.

A Academia cortou todas as ligações com Arnault mas a história, que promete continuar a dar que falar, já levou à saída de oito dos seus membros (incluindo Katarina Frostenson). Estas são, contudo, simbólicas, uma vez que o lugar é vitalício — os novos membros só são eleitos depois da morte de um dos antigos. Ainda assim, este número pode vir a aumentar. De acordo com Lars Heikensten, há dez membros que estão a ponderar sair. “Acho que todos têm de pensar se são úteis para a Academia, para o Prémio Nobel, se serão bons no futuro ou se é melhor saírem”, disse à Sveriges, citado pelo The New York Times, sem referir nomes.

No caso de a Academia Sueca não conseguir resolver os seus problemas, Heikensten colocou a hipótese de a Fundação Nobel vir a nomear outra instituição para gerir o prémio literário. “Há quem esteja disponível para assumir essa responsabilidade”, afirmou o diretor, explicando que, para que isso aconteça, é necessário alterar os estatutos. Os Nobel são geridos pela fundação com o mesmo nome à exceção do galardão de literatura, que é da responsabilidade da Academia Sueca, como consta do testamento de Alfred Nobel.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcipriano@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)