Rádio Observador

Ginástica

Tomás Amaral: o jovem que foi o primeiro português a vencer no Mundial de Ginástica Aeróbica

13.888

Tomás Amaral, um jovem açoriano de 12 anos, é o primeiro português a conquistar uma medalha nos mundiais de ginástica aeróbica. O ginasta português ganhou o ouro com recorde de pontos.

Carlos Alberto / Federação de Ginástica de Portugal

O jovem português Tomás Amaral tornou-se este domingo no primeiro português a ganhar uma medalha nos mundiais de ginástica aeróbica. O atleta açoriano de 12 anos, natural de São Miguel, venceu a Competição Mundial Por Grupos de Idade de Ginástica Aeróbica, na categoria Individual Masculino, no escalão Juvenil.

A competição que se disputou no Pavilhão Multiusos de Guimarães viu o jovem ginasta conquistar 19.650 pontos, um recorde naquele escalão. Tomás Amaral é atleta no Clube de Atividades Gímnicas de Ponta Delgada e ficou à frente do russo Damir Manafov (19.400 pontos) e do romeno Leonard Manta (19.200 pontos).

O presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, felicitou o atleta através de uma mensagem enviada ao Clube de Atividades Gímnicas de Ponta Delgada e publicada no página do Governo Regional: “A excelente prestação do Tomás Amaral neste Campeonato do Mundo de Ginástica Aeróbica resulta, em primeiro lugar, do seu mérito, do seu trabalho e da sua dedicação a esta modalidade, mas também se deve ao elevado nível da formação ministrada pelo Clube de Atividades Gímnicas de Ponta Delgada, como provam os vários títulos nacionais e internacionais já arrecadados”.

O momento em que Tomás Amaral e a treinadora Alexandra Barroso souberam que o jovem tinha ganhado a competição. (MeloGym/ Facebook)

Mais tarde, Tomás voltou a subir ao pódio, juntamente com a colega de equipa Leonor Januário, na categoria Par Misto. A dupla portuguesa obteve o terceiro lugar, com 18.850 pontos, ficando atrás de duas duplas russas. Alexandra Barroso diz que, após 25 anos de treinadora, sente “uma felicidade imensa e uma realização pessoal incomensurável”. “É um sonho concretizado para os ginastas, treinadores, familiares, clube, região Açores e para o país. Hoje [domingo] sentimos uma imensidão de emoções que só me faz ficar grata por tudo. Tantas horas de treino e dedicação foram enaltecidas pelos resultados históricos. Agradeço profundamente à Federação de Ginástica de Portugal, câmara de Guimarães e ao governo Regional dos Açores pelo apoio ao Desporto”, disse a treinadora.

Tomás Amaral e Leonor Januário na competição de Par Misto. (Carlos Alberto Matos/Federação de Ginástica de Portugal)

Para o presidente da Federação de Ginástica de Portugal, João Paulo Rocha, “o balanço é muito positivo tanto em termos desportivos como em termos organizacionais”. Para além destas duas medalhas, Portugal esteve ainda representado nas finais das categorias Individual Feminino, Individual Masculino e Aerodance, no escalão Júnior.

Esta não é, no entanto, a primeira vez que Tomás Amaral conquista a medalha de ouro numa competição internacional. Em março, o jovem açoriano venceu o Open Internacional em Cantanhede e, no final, a treinadora destacou as dificuldades de treino na região: ” Há que aproveitar as férias lectivas para usar a área de competição oficial (10x10m) pois durante a as aulas escolares só conseguimos duas vezes por semana a sala de ginástica da Ribeira Grande (onde está o nosso praticável). É lamentável com estes resultados ainda não termos um pavilhão só para a ginástica disponível a qualquer hora do dia para os treinos bi-diários”, disse, citada pelo jornal Açores 9.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)