Um homem matou esta terça-feira dois polícias e um civil num tiroteio junto a uma escola secundária no centro da cidade de Liège, na Bélgica. Benjamin H, que foi abatido pela polícia, tinha 35 ou 36 anos e nacionalidade belga. O atirador já tinha cadastro e esteve preso por roubo e crimes relacionados com droga. De acordo com o Le Parisien, radicalizou-se na prisão. Além das três vítimas mortais, dois polícias também ficaram feridos.

O vídeo do momento em que o atirador é abatido pela polícia à entrada da escola secundária foi entretanto partilhado nas redes sociais.

De acordo com o jornal belga Le Soir, o homem passou em frente ao café Augustins, perto da escola secundária L’athénée Léonie de Waha, quando foi abordado pelos dois polícias que depois baleou mortalmente. A seguir fugiu e fez uma mulher refém na escola, mas acabou por ser abatido pelo Pelotão Anti-Terrorismo da Bélgica.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo o jornal, os polícias que se aproximaram inicialmente do homem queriam fazer uma abordagem de rotina ao ver o homem passar pelo estabelecimento escolar. Foi nessa aproximação que o homem roubou a arma de fogo a um dos agentes e abriu fogo contra eles, atingindo-os mortalmente. Um transeunte foi apanhado no tiroteio e também foi morto.

A seguir, o homem tentou escapar às autoridades: entrou na escola secundária, fez uma funcionária refém e tentou levá-la para o interior do estabelecimento. Foi à entrada no edifício da escola que o homem foi abatido pela polícia, que disparou sobre ele sem ferir a mulher. Os estudantes nunca entraram em contacto com o atirador e nenhum deles esteve em perigo de vida.

Atirador da Bélgica radicalizou-se na prisão