Bill Browder, crítico assumido de Vladimir Putin e responsável pela apresentação do projecto-lei pediu que o governo do Reino Unido agisse de forma “rápida e robusta” em responder ao ataque a Skripal, foi esta quarta-feira detido em Espanha sob um mandado de captura pedido pelas autoridades russas.

Nascido nos Estados Unidos e com nacionalidade britânica, Bowder já foi um dos maiores investidores estrangeiros na Rússia, até ser impedido de entrar naquele país em 2005. Tem-se destacado pelo combate assumido contra a “cleptocracia russa” e foi, recentemente, uma das vozes que mais pressionou países como Estados Unidos e Reino Unido a assumirem sanções contra Moscovo, nomeadamente o congelamento de contas bancárias e revogação de vistos.

Esta quarta-feira, no entanto, Bill Browder foi surpreendido pelas autoridades espanholas e foi o próprio a revelar, no Twitter, que acabara de ser detido e que se encontrava a caminho da esquadra.

Em 2005, Bill Browder, fundador do Hermitage Capital Management, foi colocado na lista negra do Kremlin e considerado uma “ameaça para a segurança nacional” daquele país.  Sergei Magnitsky, representante daquele fundo de investimento na Rússia, acabou por ser detido e acusado de fraude fiscal. Acabaria por morrer na prisão 11 meses depois.

A morte de Magnitsky provocou ondas de choque em muitos países ocidentais. Estados Unidos, Canadá e Reino Unido foram alguns dos Estados que assumiram medidas restritivas contra oligarcas russos, como resposta às acusações que recaem sobre a Rússia, nomeadamente em matéria de violação dos direitos humanos.

A retaliação de Putin não se fez esperar: Kremlin acusou Browder de fraude e evasão fiscal e tentou, por três vezes, que Interpol emitisse um mandado de captura internacional em nome de Bowder. Agora, de acordo com o que o próprio escreveu na sua conta oficial do Twitter, terá sido detido precisamente nessas circunstâncias.