O jornalista mexicano Héctor González, correspondente do diário Excélsior e de media locais, foi assassinado no Estado de Tamaulipas (nordeste), informou esta quarta-feira o diário. Ao citar fontes da Procuradoria-Geral de Justiça de Tamaulipas, o periódico adiantou que o cadáver de González foi localizado em Ciudad Victoria.

De acordo com as primeiras investigações, o jornalista foi golpeado ou espancado até à morte, e as autoridades anunciaram o início de uma investigação para “localizar os responsáveis do homicídio”, adiantou o Excélsior. Na quinta-feira, a jornalista Alicia Díaz, 52 anos, foi encontrada morta e com vestígios de golpes, na sua casa na cidade de Monterrey, no Estado de Nuevo León, norte do México.

De acordo com a organização Artículo 19, durante o mandato do atual Presidente, Enrique Peña Nieto, iniciado em 2012, foram assassinados 42 jornalistas e registadas cerca de 2.000 agressões a repórteres. No dia 1 de julho vão decorrer no México eleições gerais para eleger um novo Presidente e renovar o Senado e o parlamento.