O Presidente da Venezuela adiou, na terça-feira, pelo menos por 60 dias, a entrada em vigor da reconversão monetária que, a partir de 04 de junho, eliminará três zeros da moeda venezuelana. “Há que dar um período [de tempo] superior para a entrada em vigor da reconversão (…) poderíamos sugerir uma nova meta de 60 dias e fazer todos os eventos e simulacros, e procurar essa reconversão que a Venezuela necessita”, disse Nicolás Maduro.

A reconversão monetária vai transformar o bolívar forte em bolívar soberano. A decisão foi tomada na sequência de uma reunião com representantes da Associação Bancária da Venezuela (ABV) e dos bancos privados venezuelanos, que decorreu no palácio presidencial de Miraflores, em Caracas.

Durante a reunião, o presidente da ABV, Arístides Maza, propôs a Maduro adiar por 90 dias o início da reconversão monetária e a definição de um período de circulação conjunta das notas de bolívares fortes e dos bolívares soberanos. Em finais de março último, Nicolás Maduro anunciou uma reconversão monetária que passaria pela eliminação de três zeros da moeda venezuelana e a impressão de novas notas, os bolívares soberanos. O chefe de Estado justificou a medida com o propósito de facilitar as transações bancárias.