Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

As vendas do DS4 e DS5 abaixo das expectativas e a necessidade de adaptar os seus motores – especialmente os diesel – à nova norma WLTP, levaram a DS, a marca de luxo do Grupo PSA, a optar pelo abandono destes dois modelos, após escoar o stock acumulado. Por outro lado, o grupo que tem o português Carlos Tavares como CEO justificou a decisão como forma de se preparar para as novidades que vêm aí, algumas das quais vão surgir já a 4 de Outubro, no próximo Salão de Paris.

O certame da capital francesa vai ter como uma das estrelas o novo DS 3 Crossback, o modelo mais pequeno da marca, mas que será também o que assume um maior potencial de vendas, com os responsáveis franceses a antever o triplo das vendas do DS7. De salientar que o 3 Crossback, que se assumirá esteticamente como um DS7 em ponto pequeno, é concebido com base na plataforma do Peugeot 2008 e será equipado com motores a gasolina e híbridos, mas usufruirá igualmente de uma versão 100% eléctrica.

A versão EV do DS3 Crossback, que deverá ser apelidada E-Tense, montará um motor eléctrico de 115 cv, alimentado por uma bateria com a capacidade de 50 kWh, o suficiente na opinião dos gauleses para garantir uma autonomia de 450 km. Até as versões do novo DS3 estarem disponíveis no mercado, lá para o início de 2019, a DS vai retirar as versões diesel do actual DS3 de três portas, em parte devido ao WLTP, concentrando-se exclusivamente nos motores PureTech a gasolina.

Igualmente no início de 2019 surgirá no mercado o DS7 E-Tense Plug-In Hybrid, o primeiro modelo da PSA a estrear a nova mecânica PHEV da casa, sendo também o primeiro de um grupo de oito modelos electrificados (híbridos ou 100% eléctricos) que a DS vai introduzir até 2025. O DS7 E-Tense vai montar o motor 1.6 THP sobrealimentado com 200 cv, surgindo no eixo traseiro um motor eléctrico de 110 cv, que garante uma potência conjunta de 300 cv. Isto enquanto a pequena bateria de 13 kWh montada sob o assento traseiro tiver energia, sendo que ela é recarregada por um pequeno motor eléctrico integrado na caixa de velocidades automática de oito relações. A marca menciona uma autonomia de 60 km em modo eléctrico.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR