Pelo menos 20 civis, incluindo sete menores, morreram na sexta-feira em bombardeamentos alegadamente realizados pela coligação internacional em duas zonas do nordeste da Síria, na sua campanha contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI), anunciou hoje o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

O bombardeamento mais grave ocorreu na noite de sexta-feira na localidade de Hadach, no sul da província de Al Hasaka, numa zona controlada pelo EI, onde morreram pelo menos 12 pessoas.

Entre os mortos encontram-se uma mulher e os seus três filhos e outras cinco pessoas, membros de uma mesma família, disse a ONG.

O Observatório advertiu que o número de vítimas poderá aumentar por haver um número não especificado de feridos graves.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No segundo ataque morreram pelo menos oito civis, incluindo três menores, na localidade de Al Baguz, perto da cidade de Albukamal, na província de Deir al Zur e próximo da fronteira com o Iraque.

A coligação internacional, liderada pelos Estados Unidos, reconhece ter provocado pelo menos 892 vítimas civis entre agosto de 2014 e abril deste ano nos seus bombardeamentos no Iraque e na Síria, segundo um comunicado publicado na quinta-feira.

Os aviões da coligação estão a dar cobertura à ofensiva das Forças Democráticas Sírias (FDS), que reúnem diversas milícias curdas, contra o EI.