Rádio Observador

Estradas

Movimento de Utentes da EN125 exigem reparação urgente da via

A petição "Pela dignidade e segurança na EN 125 -- obras de requalificação imediata no troço entre Olhão nascente e Vila Real de Santo António" foi subscrita por mais de 7.000 pessoas.

LUÍS FORRA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O Movimento de Cidadania dos Utentes da Estrada Nacional 125 (EN125) — Sotavento expôs esta segunda-feira, no Algarve, a uma delegação da Assembleia da República, os motivos que o levaram a pedir ao Parlamento a requalificação urgente daquela via.

A petição “Pela dignidade e segurança na EN 125 — obras de requalificação imediata no troço entre Olhão nascente e Vila Real de Santo António” foi subscrita por mais de 7.000 pessoas e entregue pelo Movimento no Parlamento, que nomeou como relator o deputado do PSD, Cristóvão Norte, um dos parlamentares que esta segunda-feira se reuniu no Algarve com a estrutura representativa dos utentes.

O encontro, realizado em Vila Real de Santo António, foi o primeiro deste tipo que se realizou fora da Assembleia da República, onde se decorrem habitualmente todas as audições de peticionários, e permitiu ao Movimento “expor os seus motivos e argumentações” para exigir a requalificação urgente da EN125 na zona do sotavento algarvio.

A audição de peticionários para documentos com mais de 1.000 assinaturas é obrigatória e Cristóvão Norte considerou que a realização do encontro em Vila Real de Santo António fez com que “fosse a Assembleia da República a ir ao encontro dos cidadãos, em proximidade e permitindo-lhes acompanhar o processo, numa matéria que suscita muito interesse” e realizar “algo — audição de peticionários fora da Assembleia da República – que nunca se fez no Algarve e quase nunca no país”.

O caráter “quase inédito” da iniciativa também foi destacado por Hugo Pena, do Movimento de Cidadania dos Utentes da EN125 — Sotavento”, que traçou à agência Lusa o cenário que espera no parlamento.

Hugo Pena adiantou que o deputado relator vai fazer o seu trabalho “e apresentar o relatório dentro de duas ou três semanas”, mas reconheceu que o debate da petição no plenário já não vai ser neste ano parlamentar. “Antes de setembro já não será”, disse Hugo Pena, que se mostrou “muito satisfeito” com todo o trabalho realizado pelo Movimento para trazer para a ordem do dia a urgência da requalificação da EN125 entre Vila Real de Santo António e Olhão, onde são visíveis os sinais de degradação, sobretudo entre a cidade vila-realense e altura, no concelho de Castro Marim.

O dirigente do Movimento considerou que o “trabalho de pressão” feito sobre as entidades oficiais, e que tem contado com o apoio das Câmaras de Vila Real de Santo António e Castro Marim, tem levado inclusivamente à atuação das Infraestruturas de Portugal (IP), que em abril anunciou a realização de trabalhos de recuperação urgente nesse troço da EN125, ao longo de cerca de 38 quilómetros.

“Não é coincidência que, poucos dias depois da entrega da petição na Assembleia da República, a IP viesse anunciar as obras urgentes e hoje, que foi o encontro, viesse dizer que a consignação tinha sido feita hoje”, afirmou.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)