Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A primeira edição foi em 2014 e daí para cá o Festival F cresceu em quase tudo: o número de palcos passou de quatro para sete, a área do recinto tornou-se sete vezes maior e a programação musical é mais robusta. Não é por isso surpreendente que na quinta edição do festival, que decorrerá nos dias 30 de agosto a 1 de setembro no centro histórico de Faro, se esperem concertos dos maiores músicos e bandas nacionais.

Um dos grandes destaques da próxima edição é Salvador Sobral, que atuará em dose dupla, a solo e com a sua banda Alexander Search. O músico lançou recentemente um novo single, “Mano a Mano”, e promete fazer os dois concertos que em 2017 foi obrigado a cancelar, por motivos de saúde, no Festival F.

Sérgio Godinho é outro dos músicos confirmados e levará o seu novo álbum, Nação Valente, à cidade algarvia. Pelo festival vão passar também as cantoras Cristina Branco, Elisa Rodrigues, Aurea e Raquel Tavares — todas com novos discos para apresentar –, as bandas Dead Combo, The Gift, Paus, Moonspell, Ermo, Golden Slumbers e Brass Wires Orchestra e os músicos The Legendary Tigerman (Paulo Furtado), Daniel Kemish (britânico, mas residente em Portugal), Manel Cruz, Rodrigo Leão, Luís Severo, Sean Riley, João Só, Janeiro, Filipe Sambado e Surma.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A fadista Kátia Guerreiro será responsável por um dos concertos mais especiais do festival, já que atuará acompanhada pela Orquestra Clássica do Sul. O hip hop também estará representado, com atuações de Slow J, um dos grandes talentos do género, e dos rappers Piruka, Kappa Jotta, Bispo, Papillon, Holly Hood, Sacik Brown e Domi. Também o grupo D.A.M.A. e o cantor Diogo Piçarra estarão em Faro.

Para preencher a quota da música de dança foram convidados a portuguesa Blaya, o DJ brasileiro Patife, o português DJ Glue e os DJs da rádio Comercial, Nuno Luz e Wilson Honrado, assim como a festa Revenge of the 90’s, que evoca as memórias musicais dos anos 1990 e que tem tido grande adesão do público.

A programação desta quinta edição é um também um sinal da vitalidade da música portuguesa, visto que a maioria dos mais de 30 músicos e bandas nacionais que atuarão no Festival F têm trabalhos editados recentemente (no último ano e meio). A composição do cartaz agora revelado faz desta edição a mais ambiciosa até à data.

Aos palcos de música, soma-se ainda um palco de stand up comedy, por onde passarão os humoristas Eduardo Madeira e Môce dum Cabréste. Uma grande novidade dé a possibilidade do público fazer pequenas viagens em balões de ar quente. No recinto do festival existirão três balões, à disposição de quem quiser ter uma vista aérea da cidade de Faro.

O Festival F é organizado pela Câmara Municipal de Faro, pela produtora de concertos Sons em Trânsito, pelo Teatro das Figuras e pela Ambifaro. Os bilhetes diários custam €15 e os primeiros dois mil passes para os dois dias de festival têm um custo de €30. Quando esgotados, o acesso à totalidade dos concertos passará a custar €40.

As portas do festival estarão abertas entre as 18h e as 04h e haverá ainda animação de rua, video mapping, tertúlias, exposições e programação para os mais novos (que até aos 12 anos não pagam bilhete), promete a organização.