Uma pintora britânica foi presa depois de tentar roubar um iate no porto de Portofino, em Itália, na passada segunda-feira. Larissa Watson encontrou as chaves do barco, propriedade de uma companhia de aluguer local, e ligou o motor. A mulher de 50 anos, que foi descrita pela polícia italiana como “alta e loira” estava quase a sair do porto quando foi vista por um trabalhador portuário, que achou o comportamento suspeito.

O homem correu pelo cais, saltou para dentro do barco e trouxe o iate de novo para o porto. De seguida avisou a autoridade portuária e a polícia militar, que prenderam a mulher. A pintora foi acusada de roubo e deverá comparecer no tribunal de Génova durante o próximo mês.

O Capitão Simone Clemente, da polícia italiana, disse ao Telegraph que “nunca tinha acontecido nada assim em Portofino”. “Através das contas de Facebook e Instagram, descobrimos que ela já fez cursos de navegação e sabia como manusear um barco”, acrescentou.

As autoridades descobriram que Larissa Watson está em Itália desde fevereiro e já tinham sido apresentadas outras queixas contra si por sair de hotéis e restaurantes sem pagar. A propósito do roubo do iate, o jornal italiano La Rivieria apelidou a mulher de “pirata de Portofino”.