Economia

Descida do PIB do Japão põe fim a oito trimestres de crescimento consecutivo

O Produto Interno Bruto do Japão caiu para 0,06% no primeiro trimestre do ano, após oito trimestres de crescimento consecutivo, numa diminuição de 0,2% em relação ao período homólogo de 2017.

FRANCK ROBICHON/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O Produto Interno Bruto (PIB) do Japão caiu para 0,06% no primeiro trimestre do ano, após oito trimestres de crescimento consecutivo, numa diminuição de 0,2% em relação ao período homologo de 2017, foi esta sexta-feira anunciado. De acordo com os dados divulgados pelo Ministério das Finanças nipónico, o declínio do PIB, no primeiro trimestre deste ano, teve como causas principais a diminuição dos gastos do consumidor e o menor investimento em propriedades residenciais.

O trimestre de janeiro a março encerrou o período mais longo de expansão económica do Japão desde o final da década de 1980. Analistas, citados pela agência noticiosa norte-americana Associated Press, afirmaram que esta diminuição do PIB, que reflete o valor total dos bens e serviços produzidos por um país, está em linha com as expectativas dos investidores. Para estes analistas, a preocupação está na diminuição dos gastos no consumo.

“Os consumidores estão preocupados com os preços do petróleo, por isso é difícil perceber quando é que o consumo vai melhorar”, disse Harumi Taguchi, da IHS Markit. O objetivo dos EUA, de redução do défice comercial, levantou preocupações na economia do Japão, que depende muito das exportações.

Harumi Taguchi disse prever que a economia nipónica possa recuperar no próximo tremeste e que atinja um PIB entre 1% e 1,2%. A analista declarou esperar um crescimento anual de 1,1% em 2018.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Caixa Geral de Depósitos

Caixa para que te quero

Inês Domingos
104

Centeno quis a toda a força financiar a Caixa para lá do que seria aparentemente preciso, mas disse no Parlamento que não tem interesse no resultado da auditoria que revelou os desmandos socialistas. 

Liberalismo

Por uma alternativa política

Manuel Loureiro
349

Vivemos contentes com crescimentos poucochinhos, resignados a um aperto económico com que as famílias vivem? Se em 1974 ganhámos a democracia, não estará agora na hora de lutarmos pela liberdade?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)