OCDE

OCDE aconselha Berlim a estimular investimento e consumo internos

Tendo em conta o "desequilíbrio externo" da Alemanha, a OCDE defende que o estímulo do investimento e do consumo internos através do gasto público pode contribuir para melhorar a produtividade.

OLIVER WEIKEN/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A OCDE aconselha Berlim a estimular o investimento e o consumo internos, defendendo que a Alemanha dispõe de um amplo excedente da balança corrente, apoiado em grande medida no forte excedente do comércio externo.

Num relatório sobre a economia alemã, divulgado esta terça-feira, a OCDE (Organização de Cooperação e Desenvolvimento Económico) considera que o “desequilíbrio externo” da Alemanha é consequência de vários fatores e também reflete o excesso de poupança tanto das famílias como das empresas e do Governo.

Assim, a OCDE defende que o estímulo do investimento e do consumo internos através do gasto público poderia contribuir para melhorar a produtividade e avançar na inclusão de setores desfavorecidos, além de favorecer a competitividade.

A OCDE também sublinha que para utilizar a posição orçamental privilegiada Berlim pode atuar no investimento público em projetos de infraestruturas, considerando que a redução da pressão fiscal sobre os rendimentos do trabalho mais baixos teria como consequência impulsionar o consumo privado.

O relatório da OCDE resume a situação conjuntural da Alemanha com a expressão “robusta”, indicando que a estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para 2018 recuará para 2,1%, menos quatro décimas do que em 2017 e que a taxa de desemprego descerá de 3,7% no ano passado para 3,4%.

Por outro lado, o relatório do “clube dos países ricos” estima que a Alemanha deveria privatizar as participações públicas na banca regional, na indústria automóvel, nas telecomunicações e nos serviços postais.

Em relação aos bancos regionais alemães (Landesbanken), maioritariamente nas mãos dos governos dos “Länder”, a OCDE recorda que são entidades que demonstraram ter um historial “pobre” quanto à eficiência e de vulnerabilidade aos riscos de solvência. A OCDE também recorda que “a propriedade governamental dos ‘landesbanken’ causou um problema de governança devido à natureza internacional do negócio”.

A recomendação da OCDE para o Governo vender as participações públicas em empresas automóveis, de telecomunicações e correios é acompanhada da constatação de que o número limitado de operadores da rede de telemóveis é um elemento que limita a competitividade.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)