Lisboa

Mais de 111 escritores dos EUA participam numa Universidade de Verão em Lisboa

Um grupo de "mais de 111 escritores norte-americanos" participam, em julho, em Lisboa, numa Universidade de Verão, organizada pelo Centro Nacional de Cultura, no âmbito do programa Disquiet.

Lusa

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Um grupo de “mais de 111 escritores norte-americanos” participam, em julho, em Lisboa, numa Universidade de Verão, organizada pelo Centro Nacional de Cultura (CNC), no âmbito do programa Disquiet, e que este ano se estende aos Açores.

O Disquiet – Programa Literário Internacional, uma iniciativa da organização literária sem fins lucrativos Dzanc Books, “tem como principais objetivos aprofundar o conhecimento entre escritores norte-americanos e lusófonos e divulgar a obra destes artistas para além das suas habituais fronteiras”, segundo nota do CNC.

A 8.ª edição do Disquiet em Lisboa, realiza-se de 01 a 13 de julho, e conta com a participação, entre outros, dos autores portugueses Rui Zink, Patrícia Portela, Afonso Cruz, Jacinto Lucas Pires, Teolinda Gersão, José Gardeazabal, Inês Fonseca Santos, José Luís Peixoto, Jorge Silva Melo, Richard Zenith e Djaimilia Pereira de Almeida.

Ao programa-se em Lisboa, segue-se uma residência literária em Ponta Delgada, na ilha açoriana de S. Miguel, que acontece pela primeira vez, e que conta com a participação dos portugueses João Pedro Porto, Vamberto Freitas e Paula de Sousa Lima.

A iniciativa “DIS)QUIET AÇORES” vai permitir a alguns destes escritores a “oportunidade de conhecer, encontrar e escrever, aproveitando a experiência intensa que viveram durante o programa no continente e em contraponto com ele”, assinala o CNC.

No contexto desta residência insular, serão também “promovidas sessões de leitura, não só dos escritores participantes, mas também de escritores açorianos”.

Entre os 17 convidados norte-americanos para coordenar os ‘workshops’ e/ou participar nas sessões, destaca o CNC a participação de Erica Dawson, Arthur Flowers, Chanan Tigay, Shane Hinton, Maaza Mengiste, Julie Hensley, Molly Antopol e Taiye Selasi.

O projeto Disquiet, segundo o CNC, parte “do princípio que a imersão numa cultura estrangeira, num ambiente diferente do habitual, e a consequente quebra de rotinas tendem a estimular a criatividade, abrindo novas perspetivas e novos ângulos de interpretação do mundo que nos rodeia, resultando num indubitável enriquecimento para todos aqueles que nele participam”.

O CNC associou-se ao projeto norte-americano em 2011, a quem cabe a organização da vinda “de mais de 111 escritores norte-americanos”, onde, em Lisboa, vão participar numa Universidade de Verão, com frequência de ‘workshops’ e sessões com personalidades da cultura lusófona.

O CNC refere que o número de candidatos ao Disquiet “tem vindo a sofrer um significativo aumento”, tendo sido recebidas, este ano, “mais de mil dossiês, entre os quais foi selecionada cerca de uma centena de escritores participantes”. Desde 2011 já participaram no Disquiet “mais de 600 norte-americanos”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)