Moçambique

Secretário-geral da Renamo diz que as negociações de paz em Moçambique estão a fluir

O secretário-geral da Renamo disse esta quinta-feira que o diálogo de paz com o Governo "está a fluir", pois acredita que se mantém o compromisso com os ideais do falecido presidente.

António Silva/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O secretário-geral da Renamo disse esta quinta-feira que o diálogo de paz com o Governo “está a fluir”, considerando que a mudança do líder interino do partido para a Serra da Gorongosa demonstra o compromisso com os ideais do falecido presidente.

“O diálogo com o Presidente moçambicano está a fluir. É verdade que é um processo complexo e que exige calma e paciência, mas o processo está a andar”, declarou Manuel Bissopo, citado esta quinta-feira pelo canal privado STV, sem avançar mais detalhes sobre o processo.

Segundo Bissopo, a mudança do líder interino da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), Ossufo Momade, para a Serra da Gorongosa é uma demonstração de compromisso com a paz. “É uma demonstração clara de que somos fiéis àquilo que o nosso comandante em chefe decidiu: trégua sem limites, paz e estabilidade do país”, acrescentou Bissopo.

Ossufo Momade vai habitar a mesma base onde residiu, de finais de 2015 até morrer, a 03 de maio, o presidente da Renamo, Afonso Dhlakama. A deslocação do líder interino da Renamo foi anunciada no início de mês pelo porta-voz do órgão máximo daquele que é o principal partido da oposição em Moçambique.

Afonso Dhlakama morreu devido a complicações de saúde na Serra da Gorongosa, numa altura em que tanto ele como o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, davam sinais de estar perto de um entendimento para a paz, num compromisso que tanto Nyusi como a Renamo já disseram manter.

Além da descentralização de poder, tema em que as partes já encontraram consensos e têm um documento para revisão da Constituição a ser analisado pela Assembleia da República, as negociações entre a Renamo e o Governo moçambicano têm como segundo ponto a desmilitarização, desmobilização e reintegração do braço armado do partido de oposição.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Imigração

A política da miragem /premium

Helena Matos

Nos anos 70 trauteavam “A África é dos africanos." Agora se pudessem despovoavam essa mesma África para através da imigração alimentarem o activismo do ressentimento.

Imigração

Os “anti-fascistas” histéricos /premium

João Marques de Almeida

Sendo a imigração o maior problema da Europa, desafio os “anti-fascistas” de pacotilha a olhar para as políticas anti-imigração de Macron antes de chamarem fascistas a Salvini e ao chanceler austríaco

Imigração

A política da miragem /premium

Helena Matos

Nos anos 70 trauteavam “A África é dos africanos." Agora se pudessem despovoavam essa mesma África para através da imigração alimentarem o activismo do ressentimento.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)