A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola, Sonangol, e a petrolífera francesa Total assinaram esta sexta-feira, em Luanda, o contrato para o fornecimento de gasolina ao mercado angolano, na sequência do concurso lançado em Janeiro deste ano.

Governo angolano avalia possibilidade de aumento do preço dos combustíveis

O contrato, rubricado pelo Presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Carlos Saturnino, e pelo Diretor-Geral da Total Angola, Laurent Maurel, assegura, formalmente, o fornecimento de gasolina ao mercado doméstico angolano para os próximos 12 meses. Ao abrigo do referido concurso, a Total Angola iniciou a atividade em maio último, e deverá fornecer gasolina até dezembro de 2019.