Comércio

Eurochambres pede “reunião urgente” do G20 devido a guerra comercial global

A Associação das Câmaras de Comércio e Indústria Europeias considera "iminente" uma guerra comercial global e instou o G20 a organizar uma "reunião urgente" para coordenar uma estratégia.

Desde 01 de junho que os Estados Unidos aumentaram as tarifas aduaneiras das importações de aço e alumínio provenientes do Canadá, União Europeia e do México

WU HONG/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A Associação das Câmaras de Comércio e Indústria Europeias (Eurochambres) instou este domingo o G20 a organizar uma “reunião urgente” para coordenar uma estratégia que responda a “possíveis riscos de uma guerra comercial global”.

A Eurochambres apela aos G20 para que organize uma “reunião urgente”, pois considera “iminente” uma guerra comercial global, depois das últimas decisões dos Estados Unidos nesta matéria.

Vamos defender a globalização e o sistema global de comércio. Amanhã pode ser demasiado tarde!”, afirma num comunicado o presidente da Eurochambres, Christoph Leit, num claro apelo aos países mais industrializados e emergentes do mundo.

Christoph Leit insiste na realização de uma reunião, pois diz que o crescimento económico “está a ser minado”, bem como a confiança empresarial.

Necessitamos de uma resposta forte e reagirmos com rapidez para impedir o protecionismo e defender as regras do comércio multilateral”, salientou o responsável.

Para Christoph Leit, o comércio e o investimento são “fatores-chave para gerar crescimento e emprego a uma escala global”.

Se forem restringidos a situação piorará para todos nós. Por isso, devemos tomar agora medidas adequadas para reduzir a tensão neste caso”, salientou.

Desde 01 de junho que os Estados Unidos aumentaram as tarifas aduaneiras das importações de aço e alumínio provenientes do Canadá, União Europeia e do México.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Sistema Financeiro

Chegados ao ponto de vertigem do Dólar…

Jorge Silveira Botelho

Na prática, a FED devolveu a flexibilidade necessária à sua política monetária para assegurar a longevidade do atual ciclo económico global, revelando assim o desejo secreto de um Dólar mais débil.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)