Mar

Polícia Marítima decide afundar baleia com carga explosiva junto à praia da Fonte da Telha

162

Uma baleia morta foi encontrada esta terça-feira junto à Costa da Caparica. A Polícia Marítima decidiu "afundar" a baleia através de carga explosiva, por causa dos riscos para a navegação.

Luis Martins

Uma baleia morta foi encontrada à deriva, na manhã desta terça-feira, junto à praia da Fonte da Telha, na Costa da Caparica. Segundo o jornal Público, o animal tinha cerca de 30 metros e no início da tarde estava a ser empurrado para uma zona mais distante da costa.

A baleia terá sido avistada pelas 7h30 por Luís Martins, proprietário da empresa de passeios turísticos Batnavó Marítimo-Turística, tendo alertado de imediato a Polícia Marítima de Sesimbra. Quando saía da praia com um grupo de praticantes de pesca desportiva, Luís Martins disse ter visto um “vulto negro” que lhe fez lembrar “um barco virado ao contrário”.

Estivemos mesmo perto dela. É muito grande e está voltada de barriga para cima, ficando uns 2,5 metros acima da água”, disse Luís Martins.

O jornal avança ainda que depois de ser afastada da costa, a baleia deverá ser “afundada” através de carga explosiva, tendo em conta que a presença do animal pode constituir “um perigo para a navegação marítima”, disse Fernando Pereira da Fonseca, porta-voz da Marinha, acrescentando que havia apenas duas hipóteses: “Ou a baleia se aproximava da costa ou teria de ser afundada”.

A baleia estava morta há vários dias e em avançado estado de decomposição, estando os trabalhos a decorrer com o apoio do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

Populismo, Portugal e o Mar

Gonçalo Magalhães Collaço

A capacidade que a Esquerda tem, e sempre teve, para se impor, dominar e exercer o condicionamento mental que exerce, é admirável.

Mar

Afirmar Portugal no Mar

Rui Nunes
135

Tal como nos séculos XV e XVI Portugal tem que despertar novamente para o mar. O mar como visão estratégica de longo prazo.

NATO

Portugal, a NATO e o mar: os primeiros 70 anos

Duarte Bué Alves
134

Se é no Atlântico Norte que se joga a nossa segurança imediata, temos de pensar nessa mancha enorme de portugalidade que resulta da zona económica exclusiva e de uma plataforma continental alargada.

Japão

Pegar o touro pelos cornos

José Miguel Pinto dos Santos
344

Não deixa de ser irónico que as potências por detrás da intransigência doutrinária da Comissão Baleeira Internacional sejam as mesmas que, no século 19, exigiram ao Japão que lhes abrisse os portos...

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)