Professores

Serviços mínimos na greve dos professores serão decididos por colégio arbitral

Segundo o secretário de Estado da Educação, João Costa, não houve acordo entre o Governo e os sindicatos quanto aos serviços mínimos e, por isso, "caberá agora ao colégio arbitral tomar a decisão"

TIAGO PETINGA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Sem acordo entre sindicatos e Governo, a reunião desta terça-feira na Direção-Geral de Administração e Emprego Público (DGAEP) decidiu a criação de um colégio arbitral para avaliar se serão decretados serviços mínimos na greve dos professores às avaliações.

A informação foi adiantada à Lusa pelo secretário de Estado da Educação, João Costa. “Os sindicatos e as organizações sindicais não foram sensíveis aos argumentos apresentados pelo Ministério da Educação sobre o prejuízo para os alunos de uma greve que tem potencial de ter impacto na conclusão das avaliações e no calendário do acesso ao ensino superior. Como houve essa insensibilidade desse direito à avaliação por parte dos alunos não houve acordo e não tendo havido acordo caberá agora ao colégio arbitral tomar a decisão”, disse o governante à Lusa.

Na reunião de foi discutida a possibilidade de serem criados dois colégios arbitrais, para analisar períodos de greve diferentes, uma solicitação por parte das organizações sindicais que, disse João Costa, “não foi acolhida”. “E não foi acolhida no nosso entender bem, porque estamos a falar de dois pré-avisos de greve, mas com datas coincidentes e com um efeito único sobre a avaliação dos alunos e por isso congratulamo-nos com a decisão”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: [email protected]
Ano Letivo

Um outro olhar sobre os professores /premium

Teresa Espassandim
711

Os professores não são máquinas de “debitar” matéria, que ali estão sempre que toca a campainha para a aula, são pessoas e que muitas vezes se tornam referências nas nossas vidas.

Global Shapers

Estás a viver para quem? /premium

Fred Canto e Castro
461

Escolhemos o nosso carro, profissão, e até as nossas relações, não com base no que nos deixaria ultimamente preenchidos, mas sim naquilo que nos dará maior aprovação. E vale a pena?

Cidades

Nunca se lembram de baixar impostos /premium

Maria João Marques

Num país onde abusadores sexuais de crianças têm penas suspensas, há pessoas detidas por venderem bilhetes para o concerto dos U2 pelo preço que outros aceitam livremente comprar. É de loucos.

Serena Williams

A identidade da esquerda /premium

Luís Aguiar-Conraria

A identidade da esquerda passa pela luta de classes. A esquerda não pode esquecer que um estivador negro tem muito mais em comum com um estivador branco do que com um milionário negro.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)