O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras deixou que entrassem ilegalmente em Portugal três marroquinos que chegaram ao aeroporto de Lisboa num voo da TAP vindo de Casablanca. Os fugitivos viajavam com bilhetes para o Mundial de Futebol que se realiza na Rússia, pelo que não precisavam de visto para entrar naquele país.

A notícia é avançada na edição desta terça-feira do Diário de Notícias que explica que a fuga ao controlo de segurança do aeroporto aconteceu a 10 de junho e que os homens acabaram por ser localizados já fora do perímetro aeroportuário. “Foram detidos e presentes a tribunal”, disse o SEF ao jornal. Os três cidadãos marroquinos desapareceram das câmaras de videovigilância na zona de trânsito para quem fazia ligação ao voo que seguia para Moscovo.

Este esquema de recurso a bilhetes para o campeonato do mundo de futebol está a ser visto pelas autoridades como uma nova forma de contornar os sistemas de controlo de entradas ilegais no país. O episódio de fuga não é, no entanto, o primeiro a acontecer nos últimos anos. Em 2016 foram detectadas quatro fugas no aeroporto (dois marroquinos e dois argelinos, entre junho e setembro) e em janeiro do ano passado dois cidadãos argelinos também conseguiram entrar no país de forma irregular. Entre um ano e o outro, o Governo fez alterações às normas de segurança no aeroporto.

O caso deste ano foi reportado à Unidade de Coordenação Antiterrorista do Sistema de Segurança Interna, já que os marroquinos estão entre as nacionalidades mais identificadas entre os combatentes do Estado Islâmico.