Lisboa

Lisboa quer atingir “saldo zero” nas emissões e captura de carbono

Durante uma conferência de imprensa sobre a escolha de Lisboa para Capital Europeia Verde de 2020, Fernando Medina reforçou o objetivo de "saldo zero" entre as emissões de carbono e o que é capturado.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa disse esta sexta-feira que a autarquia pretende chegar ao “saldo zero” nas emissões e captura de carbono, e referiu também que a sustentabilidade é “visão política e projeto para a cidade”.

“Lisboa conseguiu uma redução significativa das emissões de carbono, mas tem um compromisso político de atingir a neutralidade do ponto de vista carbónico” nos próximos anos, afirmou o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina (PS), durante uma conferência de imprensa sobre a escolha da cidade para Capital Europeia Verde de 2020.

“Não obviamente as emissões zero [de carbono], mas significa o saldo zero entre aquilo que é emitido e aquilo que é capturado”, esclareceu.

Lisboa venceu o prémio de Capital Europeia Verde de 2020, anunciou na quinta-feira o comissário europeu para o Ambiente, Assuntos Marítimos e Pescas, Karmenu Vella, numa cerimónia que decorreu em Nijmegen, na Holanda.

O autarca da capital referiu que o prémio “representa o reconhecimento de uma visão política que coloca a sustentabilidade económica, financeira e social, mas sobretudo a ambiental como elemento central” do “projeto para a cidade”.”Lisboa concorreu três vezes e é a segunda vez que chega à final. Estivemos na final no ano passado e este ano ganhamos”, explicou à Lusa o presidente da Câmara de Lisboa.

Além do título, Lisboa vai receber também um incentivo financeiro de 350 mil euros da Comissão Europeia para avançar com o seu ano de capital verde. O vereador do Ambiente, José Sá Fernandes, disse que o dinheiro vai ser usado “para a comunicação e para fazer algumas ações que permitam dar visibilidade” à cidade, mostrando que “sustentabilidade é em Lisboa”.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, congratulou a escolha de Lisboa para Capital Verde Europeia, em 2020, afirmando que será “uma excelente oportunidade” para se adotarem medidas que promovam a proteção ambiental. O ministro do Ambiente também felicitou hoje a cidade de Lisboa e a autarquia pelo “trabalho excecional” que levou à sua escolha para Capital Europeia Verde 2020.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)