O primeiro-ministro e um primeiro grupo de 27 membros do VIII Governo constitucional de Timor-Leste tomaram posse esta sexta-feira numa cerimónia no Palácio de Lahane em Díli, marcada pela polémica decisão de exclusão pelo Presidente de alguns dos elementos propostos.

Taur Matan Ruak assumiu o cargo de primeiro-ministro de um Governo apoiado pela coligação Aliança de Mudança para o Progresso (AMP), e que integra elementos dos três partidos que a compõem, o Congresso Nacional da Reconstrução Timorense (CNRT), o Partido Libertação Popular (PLP) e o Kmanek Haburas Unidade Nacional Timor Oan (KHUNTO).

Um grupo de 11 elementos propostos por Matan Ruak foi excluído pelo Presidente da República, Francisco Guterres Lu-Olo, levando Xanana Gusmão a informar que não tomava posse como ministro de Estado e Conselheiro do primeiro-ministro. Além de Xanana Gusmão, esteve ausente da cerimónia o ministro do Petróleo e Minerais, Alfredo Pires.

Com o primeiro-ministro tomaram posse dez ministros, sete vice-ministros e dez secretários de Estado, sendo 23 homens e 5 mulheres, das quais duas com o cargo de ministras. Não há ainda data marcada para a tomada de posse dos restantes membros do executivo que segundo a Aliança de Mudança para o Progresso (AMP) terá um total de 41 membros.