Sporting

Sporting. Jaime Marta Soares diz que “Assembleia Geral está em perigo”

118

Jaime Marta Soares acusou Bruno de Carvalho de fazer "chantagem" para modificar à sua maneira os boletins de voto da AG deste sábado. E diz que a reunião magna leoninia "está em perigo".

MARIO CRUZ/LUSA

A Assembleia Geral do Sporting deste sábado “está em perigo”. O alerta partiu do presidente da Mesa da Assembleia Geral do clube, Jaime Marta Soares, numa entrevista esta sexta-feira à TVI, a menos de 24 horas de uma reunião magna dos sócios leoninos que é decisiva para a continuidade de Bruno de Carvalho, presidente suspenso, à frente dos destinos do clube.

Na origem do alerta de Marta Soares estão as alterações nos boletins de voto que vão ser entregues aos sócios, exigidas precisamente por Bruno de Carvalho. Caso essas alterações não sejam cumpridas, “os funcionários serão retirados”, considerou o presidente do órgão que dirige os trabalhos da reunião de sócios.

Marta Soares acusa o presidente suspenso do Sporting de “imposições e chantagens”, acrescentando que “estava tudo preparado e tratado com os funcionários” quando recebeu uma mensagem a informar que “os funcionários seriam chamados a sair dos serviços se o boletim de voto não corresponder às exigências de Bruno de Carvalho”.

“Neste momento a realização da AG está em perigo pela imposição, pela chantagem do Bruno de Carvalho”, rematou. No entanto, o presidente da MAG deixou a garantia de que irá “aceitar in extremis a alteração do boletim para que os sócios possam dizer de sua justiça o que querem para o Sporting Clube de Portugal”.

De acordo com o boletim de voto preparado pela MAG, divulgado esta quinta-feira, a pergunta feita aos sócios é se pretendem ou não a “revogação coletiva, com justa causa, do mandato dos membros do Conselho Diretivo”. Se votarem “sim”, estão a votar pela demissão do Conselho Diretivo. Pelo contrário, o “não” significa que os sócios não querem a demissão do Conselho Diretivo liderado por Bruno de Carvalho.

No boletim de voto apresentado pela Mesa da Assembleia Geral, os sócios vão escolher se pretendem ou não a “revogação coletiva, com justa causa, do mandato dos membros do Conselho Diretivo”.

No entanto, Bruno Carvalho considerou na quinta-feira, à Sporting TV, que este boletim de voto “é completamente enganador e desrespeita os Sócios que vão enganar-se a votar”, começando por afirmar que os sócios leoninos não vão entender bem a expressão “revogação coletiva”. Já hoje, em entrevista à RTP3, Bruno de Carvalho clarificou as suas exigências quanto à formulação das frases do boletim de voto: o presidente exigiu que à frente da opção “sim” aparecesse entre parênteses que tal significaria o seu afastamento do clube e que à frente do “não” aparecesse, também entre parênteses, que tal significa a sua continuidade na direção.

“Eu vou fazer de tudo para que os sócios amanhã possam dizer o que querem para o Sporting Clube de Portugal”, acrescentou Marta Soares, garantindo que “está tudo preparado para que a AG se realize com segurança total”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)