Bruno de Carvalho, presidente destituído do Sporting e da SAD, foi proibido a partir desta segunda-feira de entrar em Alvalade, de acordo com uma circular interna a que o Correio da Manhã teve acesso.

O documento explica que Bruno de Carvalho e equipa estão “suspensos preventivamente como sócios e como membros dos órgãos sociais do clube”. O restante Conselho Diretivo destituído na AG de sábado, Carlos Vieira, Rui Caeiro, José Quintela, Alexandre Godinho, Luís Roque e Luís Gestas também “já não ocupam nenhum cargo em qualquer órgão social” do clube, esclarece a circular.

[FrameNews src=”https://s.frames.news/cards/assembleia-do-sporting-1/?locale=pt-PT&static” width=”300px” id=”745″ slug=”assembleia-do-sporting-1″ thumbnail-url=”https://s.frames.news/cards/assembleia-do-sporting-1/thumbnail?version=1529946694401&locale=pt-PT&publisher=observador.pt” mce-placeholder=”1″]

Por essa razão, estão proibidos de entrar nas instalações do clube e da SAD, sendo que o novo presidente da SAD pede aos funcionários para que se abstenham “de receber e cumprir ordens” de Bruno de Carvalho e dos restantes membros do Conselho Diretivo.

De referir que, desde esta segunda-feira, Bruno de Carvalho já não é presidente da SAD do Sporting, de acordo com publicação feita no portal do Ministério da Justiça da Conservatória do Registo Comercial de Lisboa. A publicação confirma ainda que é o ex-presidente do Sporting entre 1989 e 1995, Sousa Cintra, que o irá substituir sob forma de cooptação.

Numa publicação no Facebook este domingo, Bruno de Carvalho recusou reconhecer Sousa Cintra como presidente da SAD. “Não Sousa Cintra, não és o Presidente da SAD pois para isso tens de passar por muitos passos”, disse após Sousa Cintra ter sido anunciado como substituto por Artur Torres Pereira, líder da Comissão de Gestão, em conferência de imprensa. Esta tarde, Bruno de Carvalho editou essa parte do post, referiu que não vai impugnar a AG mas que será candidato nas eleições.