Mais três mortes durante uma ação de campanha no estado de Oaxaca elevam para 130 o número de homicídios cometidos contra atores políticos durante a campanha eleitoral presidencial, cuja votação está agendada para domingo.

Fontes do Movimento de Regeneração Nacional (Morena) informaram hoje que Emigdio López Avendaño, candidato a deputado local, e pelo menos duas pessoas que o acompanhavam durante uma ação de campanha, foram assassinados a tiro.

Desde o início do processo eleitoral, a 8 de setembro de 2017, registaram-se mais de 543 agressões, 130 assassinatos, 48 dos quais eram candidatos e pré-candidatos, segundo uma informação da consultora Etellekt sobre violência política.

A 1 de julho será eleito o Presidente do México, 500 deputados e 128 senadores do Congresso Federal, bem como as autoridades locais em 30 dos 32 estados daquele país.