MPLA

MPLA diz que transição decorre com “harmonia”

O MPLA garantiu que o processo de transição política no partido, com a saída do presidente, José Eduardo dos Santos, decorre num "ambiente de perfeita harmonia".

MANUEL DE ALMEIDA/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O MPLA garantiu esta terça-feira que o processo de transição política no partido, com a saída do presidente, José Eduardo dos Santos, cargo ao qual concorre o chefe de Estado angolano, João Lourenço, decorre num “ambiente de perfeita harmonia”.

A informação consta do comunicado da reunião do secretariado do Bureau Político do MPLA, realizada esta terça-feira em Luanda sob direção de João Lourenço, que é também vice-presidente do partido, a qual antecede o Comité Central da próxima sexta-feira, durante a qual será formalizada a convocatória do sexto congresso extraordinário, previsto para 08 de setembro, com a eleição do novo líder.

“O secretariado do Bureau Político considerou que o processo de transição política na liderança do MPLA está a decorrer num ambiente de perfeita harmonia, ampla participação e aceitação dos militantes, na salvaguarda dos princípios e valores do MPLA, com vista ao reforço da sua unidade e coesão”, lê-se no mesmo comunicado.

Na mesma reunião desta terça-feira foi apreciado ainda o Plano de Realização do Ato de Convocação do sexto congresso extraordinário, “a decorrer em todas as províncias do país, de forma a manter os militantes, amigos e simpatizantes do partido esclarecidos e envolvidos na preparação e realização do magno evento”.

[FrameNews src=”https://s.frames.news/cards/eleicoes-em-angola/?locale=pt-PT&static” width=”300px” id=”394″ slug=”eleicoes-em-angola” thumbnail-url=”https://s.frames.news/cards/eleicoes-em-angola/thumbnail?version=1527268969772&locale=pt-PT&publisher=observador.pt” mce-placeholder=”1″]

O Comité Central do MPLA já tinha aprovado no final de maio a proposta de candidatura de João Lourenço, vice-presidente do MPLA e chefe de Estado angolano desde setembro, ao cargo de presidente do partido, que é liderado desde 1979 por José Eduardo dos Santos.

Nos últimos tempos têm crescido os comentários na sociedade angolana sobre a existência de uma suposta bicefalia entre João Lourenço e o líder do partido, José Eduardo dos Santos, em que se incluem críticas internas sobre a situação.

José Eduardo dos Santos, de 75 anos, anunciou em 2016 que deveria deixar a vida política ativa este ano, tendo confirmado a sua saída, na última sessão extraordinária do Comité Central do MPLA, realizada a 25 de maio, argumentando que “tudo o que tem um começo tem um fim”.

A liderança do MPLA foi assumida por José Eduardo dos Santos a 21 de setembro de 1979, na sequência da morte do primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, a 10 de setembro do mesmo ano, em Moscovo. Na altura, com 37 anos, José Eduardo dos Santos admitiu que não seria “uma substituição fácil nem possível”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Rússia

A hipocrisia da política de sanções /premium

José Milhazes

A Europa perdoou à Rússia a agressão à Ucrânia, a invasão da Geórgia em 2018 e dá mais uma prova de “misericórdia” em 2019. A que se deverá este acto que traz à memória o famigerado Acordo de Munique?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)