Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Dia 30 de Agosto, era suposto a cidade de Bruxelas, na Bélgica, acolher a edição de 2018 do Audi Summit, evento em que a marca dos quatro anéis deveria revelar o novo e-tron em versão definitiva, à semelhança do que aconteceu o ano passado com o A8. No entanto, o evento foi suspenso, alegadamente por razões que se prendem com a organização, ainda que alguns órgãos de comunicação social relacionem esta decisão com a prisão do CEO da marca. Rupert Stadler foi detido pelas autoridades alemãs, na semana passada (dia 18), sob suspeita de fraude e falsas declarações no caso Dieselgate.

Independentemente do verdadeiro motivo que estará por detrás deste adiamento, de Ingolstadt chega a garantia que o Audi Summit vai mesmo acontecer, embora a nova data não tenha sido ainda fechada. Já o país onde se vai “transferir” o encontro está definido: Estados Unidos da América.

Outra das certezas é que este atraso na primeira aparição pública do e-tron em nada mexe com o calendário previsto para o primeiro SUV eléctrico da Audi, mantendo-se a promessa de que as entregas arrancarão no primeiro trimestre de 2019. Tanto mais que, há já vários países onde é possível encomendar o crossover alemão.

Posicionando-se entre o Q5 e o Q7, a versão de produção do e-tron pouco deverá diferir do concept apresentado em 2015. No capítulo técnico destacam-se os três motores eléctricos (um no eixo da frente, os outros dois no traseiro), capazes de debitar um total de 435 cv, potência que, mediante o accionamento da função Boost, chega aos 503 cv. A autonomia anunciada é superior a 400 km entre cargas, já de acordo com o novo ciclo de homologação WLTP.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR