A Tesla continua apostada em incrementar o volume de produção do Model 3, o seu veículo mais acessível, que até final deste mês deverá atingir 5.000 unidades por semana, apesar de Musk ter previsto ser possível ultrapassar os 6.000 veículos. Ainda assim, e com mais de 400 mil clientes à espera de receber o seu Model 3, o fabricante está a concentrar-se nas versões mais caras e com maiores margens de lucro, como aquelas que montam baterias de maior capacidade (a Long Range), ou um motor por eixo para usufruir de tracção integral (Dual Motor). O que atira lá mais para o final do ano o início da fabricação do Model 3 mais barato, com bateria normal e apenas motor atrás, proposto por 35.000 dólares no mercado de origem.

Mas se a imensa espera é uma má notícia, ainda que finalmente a situação pareça estar controlada, a Tesla tem igualmente boas notícias para dar aos seus clientes. E logo daquelas que eles podem sentir na carteira. A marca americana anunciou esta semana a abertura das pré-encomendas a todos os clientes que reservaram o modelo, nos mercados americano e canadiano e, para assinalar o momento, decidiu melhorar os preços de algumas versões e de algumas das opções.

O Model 3 com bateria Long Range, que lhe permite 500 km de autonomia (na norma americana EPA, que é ligeiramente mais exigente do que a europeia WLTP), continua a ser proposto por 49 mil dólares, mas a versão Dual Motor passa a custar 53.000$, menos mil dólares do que até aqui. O mais potente dos Model 3, aquele equipado com tudo o que a Tesla tem para oferecer e ainda mais o Performance Pack, que até aqui era proposto por 78.000$, passa a estar disponível por 64.000$, uma redução de 14.000$ que é de longe a mais significativa, sendo relativa à versão que é capaz de atingir 96 km/h em apenas 3,5 segundos.