A petrolífera angolana Sonangol e a subsidiária da norte-americana Chevron em Angola assinaram esta quinta-feira um acordo para criação de um programa para o desenvolvimento socioeconómico da população, com um fundo de 38 milhões de dólares (37,7 milhões de euros).

O acordo para a constituição do Programa de Revitalização de Angola foi rubricado pelo presidente do conselho de administração da Sonangol, Carlos Saturnino, e pelo diretor-geral da Cabinda Gulf Oil Company (CABGOC), John Baltz, na sessão de abertura do Conselho Consultivo Alargado do Ministério dos Petróleos e Recursos Minerais, que arrancou esta quinta-feira em Luanda.

Na sua intervenção, Carlos Saturnino referiu que este acordo vai viabilizar ações de grande impacto para a população angolana, principalmente no domínio da saúde. Segundo o presidente do conselho de administração, o programa dedica-se a projetos que têm impacto para o desenvolvimento económico social, salientando que nesse sentido foi decidido acelerar-se algumas ações que o Governo tem estado a fazer.

Carlos Saturnino referiu ainda que vão estar disponíveis 20 milhões de dólares (17,2 milhões de euros), dos quais cinco milhões de dólares (4,3 milhões de euros) estão destinados para o Hospital Neves Bendinha (de atendimento a queimados), iguais montantes para cada um dos Hospitais de Oncologia, do Lubango (maternidade) e central do Huambo.

Por sua vez, o diretor-geral da CABGOC referiu que o programa veio dar voz a um objetivo comum, que partilham com o Governo, com os seus parceiros de negócios e com a comunidade. “Com estes fundos a CABGOC em nome dos parceiros do Bloco 0 irá contribuir com as comunidades através de investimentos estratégicos em três principais áreas, saúde, educação e desenvolvimento económico”, disse.

Este programa de Revitalização Social surge como resultado do bónus social atribuído no momento de atribuição da concessão do Bloco 0, que são igualmente parceiros a Total Petroleum Angola e a ENI Angola.