O Fundo Saudita para o Desenvolvimento aprovou um crédito de 12,8 milhões de euros para o programa de desenvolvimento agrícola da Guiné-Bissau, anunciou esta sexta-feira o Governo guineense, em comunicado.

“O crédito é reembolsável em 30 anos, com 10 anos de graça, e com uma taxa de juro de 1% por ano”, refere o comunicado.

Segundo o Governo guineense, o Fundo Saudita para o Desenvolvimento disponibilizou o apoio “para contribuir para o setor agrícola guineense, como forma de melhorar a dieta alimentar das populações”.

O apoio do Fundo Saudita para o Desenvolvimento acontece depois de a Índia ter doado mil toneladas de arroz à Guiné-Bissau no âmbito do mesmo programa. O arroz doado deverá ser vendido e os fundos reverterem para a aquisição de sementes para incentivar o cultivo de arroz na Guiné-Bissau. O arroz é a base alimentar dos guineenses, que não produzem a quantidade que consomem, acabando por importar aquele cereal.

Segundo dados do Ministério da Agricultura, cada guineense consome cerca de 130 quilogramas de arroz por ano, o que significa um consumo anual total de 200.000 toneladas.

A Guiné-Bissau produz apenas cerca de 100.000 toneladas de arroz. O Governo da Guiné-Bissau anunciou também este ano o investimento de cerca de 600 mil euros para melhorar pistas rurais no país para facilitar o escoamento de produtos agrícolas.