Os carros são caros e, para as pessoas com menos posses, a sua compra obriga a algum esforço, para não dizer sacrifício. Foi certamente o caso deste chinês, cuja história é contada pelo South China Morning Post, que depois de adquirir o carro dos seus sonhos, um BMW Série 5, decidiu abençoá-lo, eventualmente para que o protegesse, não se envolvesse em acidentes e o livrasse do mal…

Se esta atitude se compreende, especialmente depois de despender o equivalente a 66.600€ em yuans, já a forma que o chinês recorreu para pedir a bênção do BMW ao seu deus revelou-se algo problemática. Apenas um dia depois de ter materializado o seu sonho e dar “gás” no Série 5, o proprietário realizou uma cerimónia em que o incenso era o prato forte, acompanhado de muitas fitas vermelhas e outros acessórios, infelizmente para ele todos facilmente inflamáveis.

Aconteceu em Yangzhou, na província de Jiangsou, onde o proprietário cobriu o capot do carro com “ofertas” e queimou velas de cerimónia com quase dois metros de altura, tudo para pedir boa sorte. Pois bem, ou a chamada caiu, ou o seu deus não estava de serviço ou tem alguma aversão à BMW, pois o que verdadeiramente aconteceu é que o Série 5 começou a arder, isto já depois da família se ter retirado para o interior da residência.

O dono do carro passou à fase seguinte, em que depois de tentar comunicar com deus, percebeu estar a falar com o diabo, amaldiçoando a sua sorte. Não só se queixou de ter pago na China mais do dobro do que o carro custa nos EUA (e na Alemanha), como lamentou a destruição total do veículo.

A estação local de televisão, a CGTN, informou que a polícia está a investigar a possibilidade de uns miúdos da família terem aproximado o incenso a arder do veículo, como a causa mais provável pelo incêndio. Mas, acima de tudo, convém recordar que não se brinca com nada que arda junto a um veículo que tem combustível e é construído com produtos inflamáveis.

O vídeo publicado pela vizinhança – sempre atenta, lá como cá – provocou reacções nas redes sociais, sendo que a mais oportuna foi esta, quase certamente de alguém não muito crente: “Os deuses receberam o seu BMW”.