Milhares de manifestantes saíram às ruas em várias cidades dos EUA este sábado para protestar contra a política de imigração de Donald Trump. Em foco, esteve a separação de famílias que atingiu um pico durante a aplicação da chamada “tolerância zero” por parte da administração norte-americana.

Apesar de Donald Trump ter emitido uma ordem executiva que colocou um fim à separação de famílias, há crianças retiradas aos pais que tentaram entrar ilegalmente nos EUA que ainda não foram devolvidas aos seus progenitores.

A maior manifestação decorreu em Washington D.C., acabando por desembocar nas imediações da Casa Branca.Mas foram várias as cidades onde outros protestos aconteceram ao longo do dia, como Nova Iorque, Boston ou El Paso, na fronteira do Texas com o México.

As manifestações decorreram ao mesmo tempo que o debate sobre uma nova lei para a imigração é feita na Câmara dos Representantes. Entre os congressistas republicanos, há duas propostas na mesa: a Goodlatte I, mais moderada; e a Goodlatte 2, mais extrema.

Esta quarta-feira, Donald Trump escreveu no Twitter que os republicanos na Câmara dos Representantes “devem aprovar o projeto-lei para a imigração duro mas justo, conhecido como Goodlatte II”.

Este sábado, o Presidente dos EUA deu o dito por não dito e escreveu, igualmente no Twitter, que afinal nunca tinha defendido nenhuma das versões daquele projeto-lei. “Eu nunca pressionei os republicanos na Câmara para votarem na lei da imigração, seja a Goodlatte I ou II”, escreveu.