Entre construtor de motores e chassi de Fórmula 1 (F1), ou apenas fornecedores de unidades motrizes, a Renault está na F1 deste 1977. Na altura, interessou-se pela disciplina máxima do desporto automóvel para provar a mais-valia da tecnologia em que acreditava e foi a primeira a fazê-lo: os turbocompressores. Com a sua própria equipa, já venceu 35 vezes, e venceu dois campeonatos para pilotos e outros tantos para marcas. Mas se contarmos os sucessos obtidos pelos seus motores, então temos de somar muitos mais, a começar pelos quatro títulos de pilotos e cinco para construtores em colaboração com a Williams, ou os quatro campeonatos consecutivos alcançados por Sebastian Vettel e pela Red Bull.

Para explorar o sucesso alcançado nas corridas, a marca francesa sempre concebeu versões especiais dos seus modelos, colando-os à F1, como que a recordar que usufruem dos ensinamentos recolhidos naquela exigente disciplina. Quem não se lembra dos Clio Williams ou, mais recentemente, dos Clio e Mégane R.S., de Renault Sport, o mesmo departamento que representa a marca na F1.

O mais recente produto da Renault colado à F1 é a Alaskan, a pick-up francesa que, na verdade, nada tem de Renault. À excepção de uma carroçaria bem mais atraente, tudo o que é mecânica, suspensões, sistema de transmissão e chassi, é Nissan, mais precisamente herdado da Nissan Navara. E se a Renault ainda é do mesmo grupo da marca japonesa, a mesma Navara serve igualmente de base para a Classe X da Mercedes, com os alemães a estarem ligados à Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi em (muitos) casos pontuais, como este.

Denominada Alaskan Formula Edition, a pick-up adopta uma decoração (muito) mais discreta do que é a pintura oficial dos carros da marca, sendo que aqui é mais complicado perceber o que pode este monstro para transportar pessoas e carga vir a beneficiar dos investimentos colossais na F1, cujos carros são potentes, leves, ágeis e terrivelmente eficazes a curvar num asfalto sem a mínima ondulação. Sem dúvida orquestrada pelo marketing, a Alaskan Formula Edition foi apresentada no festival dos fãs da F1 que decorreu em Marselha, no mesmo fim-de-semana em que foi disputado a poucos quilómetros dali – no circuito de Paul Ricard – o Grande Prémio de França de F1.