Guiné-Bissau

Recursos naturais geram 30% da riqueza da Guiné-Bissau

Um estudo desenvolvido pelo Banco Mundial concluiu que 30% da riqueza da Guiné-Bissau provem diretamente dos recursos naturais, constituindo-se um caso raro no mundo.

LUIS FONSECA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Um estudo desenvolvido pelo Banco Mundial concluiu que 30% da riqueza da Guiné-Bissau provem diretamente dos recursos naturais, quando na Europa, aqueles recursos apenas geram 2% da riqueza, constituindo-se um caso raro no mundo.

Giovani Ruta, economista ambiental do Banco Mundial, baseado em Washington, mas que participou na elaboração do estudo, indicou que as consultas incidiram sobre os setores de agricultura, pescas, turismo e mineração, todos diretamente ligados aos recursos naturais, enquanto capital natural, disse.

O economista ambiental do Banco Mundial destaca que a agricultura depende dos solos e das florestas, a pesca depende dos mangais e dos recursos marinhos costeiros, a mineração depende dos recursos no subsolo e o turismo vive da biodiversidade e da beleza natural do país. Tudo somado, representa 30% da riqueza guineense, frisa Ruta.

As conclusões do estudo sobre o conceito Crescimento Verde Inclusivo, recentemente apresentados ao Governo guineense, apontam caminhos a serem percorridos. O Crescimento Verde Inclusivo é um conceito descrito pelo Banco Mundial como sendo, um crescimento que combina os objetivos ambientais com a produtividade, criação de emprego, adoção tecnológica, competitividade, procura do valor acrescentado, mas sempre evitando os impactos negativos nomeadamente as práticas insustentáveis.

Entre outras medidas, o estudo propõe que sejam aceleradas reformas políticas para atingir metas realistas e sustentáveis, divisão das zonas agrícolas, resolver o problema do conflito no uso das terras de cultivo, fortalecer a monitoração das licenças de pesca, maior envolvimento da sociedade civil na fiscalização dos recursos mineiros e ainda ajudar o executivo na aplicação da legislação no setor.

Tudo isso feito, o especialista do Banco Mundial acredita que a Guiné-Bissau terá condições de criar “mais e melhores empregos”, porque, disse, passará a ter uma agricultura mais produtiva, uma pesca mais respeitadora da legislação da captura de espécies, haverá transformação local do pescado e o país terá teria “mais crescimento, priorizando ações com uma lente”, enfatizou.

A representante do Banco Mundial na Guiné-Bissau, Kristina Svessson, enalteceu o facto de o país “possuir um capital natural, um dos mais altos de África” para destacar ser uma oportunidade que “é preciso tratar para gerar recursos de forma sustentável” para que possam servir até para as gerações vindouras, disse.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: [email protected]
União Europeia

A crítica da razão europeia (II) /premium

António Covas

A “dinâmica convencional” da Federação Europeia de Estados-Nação será ascendente e descendente, de acordo com o princípio de subsidiariedade, assim se distinguindo de uns Estados Unidos da Europa.

França

Merci, Mr. Macron /premium

André Abrantes Amaral

É o desempregrado que tem pensar em primeiro lugar o que pretende fazer da sua vida. Vivê-la por si ou à conta de outrem? O que Macron disse não é simpático, pode não garantir votos, mas é sério. 

Cidades

Nunca se lembram de baixar impostos /premium

Maria João Marques

Num país onde abusadores sexuais de crianças têm penas suspensas, há pessoas detidas por venderem bilhetes para o concerto dos U2 pelo preço que outros aceitam livremente comprar. É de loucos.

Serena Williams

A identidade da esquerda /premium

Luís Aguiar-Conraria

A identidade da esquerda passa pela luta de classes. A esquerda não pode esquecer que um estivador negro tem muito mais em comum com um estivador branco do que com um milionário negro.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)