A plataforma de streaming de filmes e séries Netflix está a estudar a possibilidade de voltar a aumentar os preços do serviço que disponibiliza na Europa. De acordo com o britânico The Telegraph, a mudança deverá afetar apenas os clientes do serviço premium, mas pode representar uma subida de 20% no valor pago atualmente.

A ideia passa por substituir o atual serviço mais completo por uma nova categoria, que se junta às três atuais (básico, standard e premium). O streaming simultâneo de áudio e vídeo em 4K em quatro ecrãs diferentes e a possibilidade de assistir a filmes e séries em HDR (High Dynamic Range) passaria a ser disponibilizado pelo novo serviço “ultra” e não pelo premium, como acontece atualmente.

Isto terá naturalmente implicações no pacote premium, em que se reduz a possibilidade de stream de quatro para apenas dois ecrãs e se perde o acesso ao HDR, mantendo-se a transmissão em 4K. Se quiserem continuar a usufruir das mesmas condições, os utilizadores do serviço mais completo terão de pagar, de acordo com o Telegraph, mais 20% sobre o valor atual.

O Observador contactou a Netflix para perceber se a mudança que está a ser estudada também se aplica em Portugal, mas não fica claro se essa é ou não uma hipótese em cima da mesa. Na resposta, fonte oficial da empresa confirma que estão a ser “testadas ligeiras diferenças nos preçários e nas condições” apresentados aos clientes, testes que justifica com a necessidade de “melhor perceber como os consumidores valorizam a Netflix”.

A empresa também refere que está “permanentemente a testar novas coisas” e que “estes testes variam na sua duração”, mas sublinha que “nem toda a gente vai ter contacto” com os resultados da avaliação que está a ser feita neste momento sobre a alteração de preços.

Aliás, a Netflix admite que pode “nunca oferecer elementos específicos incluídos no teste” aos subscritores do serviço de streaming. Neste momento, os três pacotes do serviço de streaming variam entre os 7,99 euros pelo preço mais baixo (referente ao serviço “básico”) e os 13,99 euros para o serviço premium que pode vir a sofrer alterações. No meio, há ainda um pacote “standard” que está disponível por 10,99 euros mensais.

O aumento que está a ser estudado segue-se às alterações feitas há menos de um ano. Em outubro de 2017, dois anos depois de o serviço ter sido lançado em Portugal, a empresa alterou (para cima) os preços nos planos standard, justificando-se com o aumento gradual da oferta de conteúdos que a plataforma oferece.