Vinho

Restaurantes para beber vinho? Há 4 portugueses entre os melhores do mundo

190

A revista Wine Spectator anunciou a lista dos melhores restaurantes do mundo para beber vinho. Em 3759, quatro são portugueses, dois deles estreiam-se na respeitada seleção.

The Yeatman, Il Gallo D'Oro, Monte Abrãao e EMO são os quatro restaurantes distinguidos pela Wine Spectator como os melhores para beber vinho em Portugal

© Divulgação

A lista é anual e elaborada pela reputada revista de vinhos norte-americana Wine Spectator. Entre os 3759 restaurantes distinguidos em 2018 como os melhores do mundo para beber vinho, estão quatro portugueses — EMO, Vale Abraão, The Yeatman e Il Gallo D’Oro.

A norte, o The Yeatman, com duas estrelas Michelin e localizado no hotel com o mesmo nome, em Vila Nova de Gaia, conquistou o Best of Award of Excellence, atribuído pela dita revista, em 2012. Com o mesmo galardão, mas pela primeira vez nesta lista, o Vale Abraão é o restaurante do Six Senses Douro Valley, em Lamego.

No Algarve também houve um restaurante a ver a sua garrafeira distinguida. Chama-se EMO, fica no hotel Anantara Vilamoura e também é um estreante, tendo recebido o selo de Award of Excellence, o mais baixo dos três atribuídos pela revista. Por fim, o quarto agraciado está no Funchal. O Il Gallo D’Oro do chef Benoît Sinthon acumula já duas estrelas Michelin e foi considerado merecedor do Best of Award of Excellence em 2016.

Apesar de ter quatro restaurantes numa lista tão cobiçada, Portugal continua a estar de fora da distinção máxima atribuída pela Wine Spectator, o The Grand Award (selo composto por três copos). Este ano, foi atribuído a 91 restaurantes. No total, a lista inclui restaurantes de 79 países.

Notícia atualizada no dia 16 de julho, às 18h46, com o nome e a localização corretos do restaurante Vale Abraão

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt
Comentário Político

A indisposição conservadora

António Pedro Barreiro

O conservador não tem nada em comum com a Esquerda pós-moderna e libertária, rendida a uma “cultura de repúdio” por todas as instituições, práticas, arranjos e costumes herdados da experiência passada

Ucrânia

Mais umas eleições falsas em Donbas

Inna Ohnivets

A Rússia não quis a paz em 2014 e não quer em 2018. A realização destas eleições fraudulentas é um sinal claro de que a Rússia optou por prolongar o conflito durante mais anos sob o mesmo cenário. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)