Serviço Nacional de Saúde

Há hospitais a deixar de dar medicamentos em dose unitária por falta de pessoal

748

Ordem dos Farmacêuticos informou que há "serviços em alguns hospitais" públicos onde se deixou de distribuir a medicação por dose unitária, que é uma prática mais segura, por falta de profissionais.

ANTONIO COTRIM/LUSA

A Ordem dos Farmacêuticos denunciou este sábado que há hospitais públicos a deixar de dar medicamentos em dose unitária aos doentes por dificuldades de pessoal, lembrando que este método dá mais segurança e diminui erros.

Em declarações à agência Lusa, a bastonária dos Farmacêuticos, Ana Paula Martins, referiu que há “serviços em alguns hospitais” onde se deixou de distribuir a medicação por dose unitária, que é uma prática mais segura.

É quase uma questão civilizacional (…). Nós temos neste momento serviços em hospitais onde não fazemos a dose unitária, onde entregamos [a medicação] em embalagens de medicamentos. Há muitos anos que não fazíamos isto. A dose unitária permite muito menos erros”, explicou Ana Paula Martins.

A dose unitária e individual permite reduzir o tempo de enfermagem dedicado à preparação da medicação, permite diminuir os riscos de contaminação do medicamento e os erros de administração.

A representante dos farmacêuticos recorda que todo o circuito do medicamento hospitalar exige “presença humana” e lembra que há défice de farmacêuticos nos hospitais no Serviço Nacional de Saúde (SNS), sobretudo nos últimos quatro ou cinco anos.

No final de junho, a bastonária tinha enviado uma carta ao Ministério da Saúde na qual anunciava que previa uma rutura de prestação de cuidados nos hospitais “como não há memória” a partir de julho, com a passagem às 35 horas a partir do início deste mês.

A situação é tão grave, referia a carta, que “está posta em causa a segurança dos doentes”. A Ordem indicava ainda que “a maioria dos serviços farmacêuticos hospitalares” reporta impactos da falta de pessoas na dispensa de medicamentos aos doentes, nomeadamente na distribuição em dose unitária.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Estado Social

A Maternidade já pode fechar? /premium

Rui Ramos
669

Quem quer manter aberta a Maternidade Alfredo da Costa deve fazer tudo para eleger um governo das direitas. Só então, voltará a maternidade a ter os defensores que teve há uns anos. 

Serviço Nacional de Saúde

Gerir em saúde

Diogo Prates
135

As novas gerações, não nos perdoarão se não lhes disponibilizarmos as mesmas vantagens que o Serviço Nacional de Saúde, apesar de todas as suas limitações, nos trouxe a nós.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)