Rádio Observador

Marcelo Rebelo de Sousa

Marcelo inaugura avenida Mário Soares em Bragança e espera que seja inspiradora

420

O Presidente da República inaugurou este sábado, em Bragança, uma avenida com o nome de Mário Soares que espera seja inspiradora para novos projetos empresariais na cidade transmontana.

Marcelo assumiu como "uma grande honra" inaugurar a avenida com o nome do antigo Presidente da República

LUSA

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, inaugurou este sábado, em Bragança, uma avenida com o nome de Mário Soares que espera seja inspiradora para novos projetos empresariais na cidade transmontana.

A nova avenida fica nas Cantarias, onde fica a nova Área de Acolhimento Empresarial, iniciativa municipal de 3,4 milhões de euros, com 46 lotes de terrenos para captar novos investimentos empresariais e criar postos de trabalho, no concelho com pouco mais de 30 mil habitantes.

Marcelo assumiu como “uma grande honra” inaugurar a avenida com o nome do antigo Presidente da República, que considerou que “foi, é e será uma grande figura da História portuguesa contemporânea pela sua maneira de ver Portugal, a Europa e o mundo”.

Pela sua abertura, pela sua maneira de ser, pelo seu calor em relação às portuguesas e aos portugueses. Deixou um traço inesquecível e durante um período fundamental na mudança da nossa democracia”, afirmou.

O chefe de Estado lembrou que Mário Soares “foi o primeiro presidente civil, que representava uma realidade nova”, num país acabado de “sair de uma revolução, de uma realidade com uma forte componente militar, foi uma viragem e ele protagonizou essa viragem”.

“Portanto, é muito justa e eu espero que seja inspiradora”, disse, referindo-se à homenagem a Mário Soares.

Marcelo adiantou ainda que pretende voltar a Bragança “daqui a dois, dois anos e meio, se não for antes, pela calada, para vir ver como estão as obras e ver a concretização daquele projeto”.

O Presidente terminou este sábado a visita de dois dias a Bragança, tal como começou, nas comemorações dos 500 anos da Santa Casa da Misericórdia de Bragança, com uma visita às instalações em que voltou a considerar “fundamental” o papel das instituições de solidariedade social.

Questionado pelos jornalistas sobre temas como a introdução das 35 horas de trabalho na Saúde, o presidente da República voltou a responder: “Vamos esperar”.

“Cabe ao Governo, naturalmente, decidir essa matéria. Só agora é que começou a ser aplicado no setor da Saúde, como vai haver um orçamento para o ano que vem até permite, eventualmente, o Governo ver qual é a situação e o que deve fazer”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Legislação

Menos forma, mais soluções /premium

Helena Garrido

É aflitivo ver-nos criar leis e mais leis sem nos focarmos nas soluções. A doentia tendência em catalogar tudo como sendo de esquerda ou de direita tem agravado esta incapacidade de resolver problemas

PSD/CDS

A beira do precipício

José Ribeiro e Castro
105

A visão da beira do precipício serve para despertar. Se não querem deixar Portugal totalmente submetido à esquerda, PSD e CDS têm de fazer mais no tempo que falta. Sobretudo fazer melhor. E desde já.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)