Viana do Castelo

Piloto despista-se e mata espectador de 65 anos. Rali de Viana do Castelo cancelado

Um piloto despistou-se este sábado durante uma prova do rali de Viana do Castelo atropelando mortalmente um espectador de 65 anos que assistia à prova, disse ao Observador fonte da GNR de Viana.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Um piloto despistou-se este sábado durante uma prova do rali de Viana do Castelo atropelando mortalmente um espectador de 65 anos que assistia à prova, disse ao Observador fonte da GNR de Viana do Castelo.

Segundo as autoridades, o piloto seguia na prova quando se despistou na zona da Montaria, acabando por embater contra um espectador.

O homem, de 65 anos, ainda foi transportado pelos bombeiros que se encontravam de prevenção junto ao local da prova para o hospital de Viana do Castelo, mas não resistiu aos ferimentos e acabou por morrer.

O despiste aconteceu por volta das 15h30, detalhou a mesma fonte.

Segundo disse fonte da Câmara Municipal de Viana do Castelo à Agência Lusa, a homem é natural de Guimarães e “foi colhido” numa saída de estrada de um dos participantes no rali e, apesar de “assistido de imediato pelo médico da prova e pelo INEM [Instituto Nacional de Emergência Médica]”, acabou por morrer no local.

“O rali em princípio vai ser anulado, mas neste momento está suspenso, assim como todas as atividades da câmara”, disse.

De acordo com dados da organização, a cargo do Clube Automóvel de Santo Tirso, em parceria com a autarquia local, o Rali de Viana do Castelo contava este ano com “recorde de inscritos”, num total de 84 pilotos, entre eles o campeão nacional de Ralis GT 2017, Vítor Pascoal, e os tricampeões Fernando Peres e Adruzilo Lopes.

O primeiro dia de prova arrancou esta tarde e devia terminar pela meia-noite, sendo que deveria depois prosseguir no domingo.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jfgomes@observador.pt
Comentário Político

A indisposição conservadora

António Pedro Barreiro

O conservador não tem nada em comum com a Esquerda pós-moderna e libertária, rendida a uma “cultura de repúdio” por todas as instituições, práticas, arranjos e costumes herdados da experiência passada

Ucrânia

Mais umas eleições falsas em Donbas

Inna Ohnivets

A Rússia não quis a paz em 2014 e não quer em 2018. A realização destas eleições fraudulentas é um sinal claro de que a Rússia optou por prolongar o conflito durante mais anos sob o mesmo cenário. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)