Era para ser no dia 7 do mês 7 do ano 2017 a apresentação do novo número 7, mas o máximo que se viu foi mesmo por engano: na rede social chinesa Weibo, a Juventus mostrou um filme com os últimos jogadores que vestiram essa camisola no clube, apagou a publicação que todos pensavam estar relacionada com Cristiano Ronaldo e depois houve a explicação de que era algo apenas relacionado com a data em si. Não foi sábado, não foi domingo, já se diz que pode ser terça-feira. Enquanto tudo se passa, o português continua de férias na Grécia com a família.

https://twitter.com/pgullaci/status/1015764057385660416

Afinal, o que se passa para um negócio que parecia estar feito continuar a ser adiado? Sobretudo dois grandes motivos: por um lado, uma notícia que chega de vários órgãos italianos, que diz que o Real Madrid, ao contrário do que estava combinado com o jogador e Jorge Mendes, já pede mais 50 milhões aos 100 milhões de euros que tinham ficado estabelecidos; por outro, uma informação que cruza quase todas as publicações espanholas, que garante que a única coisa que Florentino Pérez quer é ver Ronaldo assumir que pretende deixar o clube.

No entanto, existem duas grandes novidades antes de entrarmos na semana decisiva para que se conheça o futuro do capitão da Seleção Nacional na próxima temporada: soube-se que o avançado terá recusado uma proposta da China onde receberia 200 milhões de euros por um contrato de duas temporadas, no mesmo dia em que foi anunciado um vínculo em Itália… que não tem nada a ver nem com a Juventus nem com o próprio desporto.

O momento que ainda faz suspirar os adeptos da Juventus: o golo de bicicleta de Ronaldo em Turim (Emilio Andreoli/Getty Images)

De acordo com a Marca, o melhor jogador do mundo terá recebido uma proposta fabulosa da China, uma Liga por onde já passaram (ou ainda lá estão) nomes como Tévez, Hulk, Óscar, Witsel, Mascherano, Carrasco ou Gaitán, que lhe renderia um total de 100 milhões de euros por cada uma das duas épocas de contrato. A oferta chegou em 2017 e é agora recuperada pelo jornal para justificar as razões pelas quais pretende deixar a capital espanhola: mais do que dinheiro, Ronaldo tem sempre na mira os objetivos desportivos e as 28 chamadas de Agnelli, líder da Juventus, sobre o projeto para colocar a Vecchia Signora a lutar pela Liga dos Campeões convenceram o número 7. Isso e um contrato que renderá 120 milhões de euros limpos em ordenados ao longo de quatro épocas.

Em paralelo, e na grande notícia do dia, citada pela Gazzetta dello Sport, foi tornado público um contrato de Cristiano Ronaldo com a AVIS (Associação Voluntária Italiana de Sangue), uma associação de beneficência para doação de sangue. “É um grande orgulho para nós anunciar o acordo com o maior fenómeno do futebol, Cristiano Ronaldo”, explicou a organização em comunicado. Assim, e entre outras ações, é provável que a cidade de Bellano, perto do lago Como, passe a ter várias publicidades e outdoors, além dos anúncios na internet e redes sociais. Em breve saberemos se este é o único contrato que o português irá assinar em Itália a curto prazo…

Pelo meio, aquilo que já é apelidado de “Golpe do Século” continua a conhecer outros pormenores paralelos. Depois da Sky Italia ter noticiado este sábado que o avançado tinha telefonado a Carlo Ancelotti para saber um pouco mais da Juventus, este domingo o Corriero dello Sport revelou parte da conversa, afirmando mesmo que, na conversa, o seu antigo treinador terá sublinhado que Massimiliano Allegri era o técnico ideal para si; no polo oposto, Luka Modric, o grande herói da Croácia na qualificação para as meias-finais do Campeonato do Mundo, pediu para que ficasse “por ser o melhor do mundo”. “Não acredito que saia, acho mesmo que vai ficar”, sublinhou.