O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, assumiu esta segunda-feira o cargo de chefe de Estado, com plenos poderes executivos, de acordo com o novo sistema presidencialista, que elimina a figura do primeiro-ministro.

O mandatário, que governa a Turquia desde 2002, à frente do Partido Justiça e Desenvolvimento (AKP), conservador e islamita, foi reeleito nas eleições presidenciais do passado dia 24 de junho, com 52,6% dos votos.

Erdogan tomou posse esta segunda-feira, preparando-se para um novo mandato de cinco anos, numa cerimónia no Parlamento de Ancara, transmitida em direto por vários canais de televisão. O presidente, de 64 anos, comprometeu-se a preservar os princípios da Turquia laia, fundada por Mustafa Kemal Ataturk.

Com a posse, entram em vigor a maioria das medidas de reforço das competências do Presidente adotadas no referendo constitucional de abril de 2017.

Ao abrigo das novas regras, Erdogan, primeiro-ministro entre 2003 e 2014 e Presidente desde então, pode candidatar-se a mais dois mandatos na presidência de cinco anos cada. Uma vez empossado, Erdogan visita na terça-feira a República Turca de Chipre do Norte, reconhecida apenas por Ancara, e o Azerbaijão e, na quarta-feira, desloca-se a Bruxelas, para participar na Cimeira da NATO.