Orçamento do Estado

Jerónimo diz que não há nenhuma tensão quanto ao Orçamento, mas reafirma “não à NATO”

O secretário-geral do PCP afirmou a inexistência de tensão nas negociações do Orçamento do Estado para 2019, aproximando-se o período "normal e natural" de "exame comum" da futura proposta do Governo.

MANUEL FERNANDO ARAÚJO/LUSA

O secretário-geral comunista afirmou esta segunda-feira a inexistência de tensão nas negociações do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), aproximando-se o período “normal e natural” de “exame comum” da futura proposta do Governo.

“Não há nenhuma tensão. Não gosto de ser comentador de comentários. Não é bom caminho misturar coisas. Em relação à legislação laboral, é um momento marcante, um aspeto de grande significado político e social, mas à legislação laboral o que é da legislação laboral e ao orçamento o que é do orçamento. Estamos de acordo que não deve haver ultimatos, nem pressões ou chantagens. Deve haver um encaminhamento para um processo normal e natural de apreciação dos conteúdos do orçamento”, disse Jerónimo de Sousa.

O líder do PCP fora confrontado, à margem de uma manifestação anti-NATO, em Lisboa, com declarações do fim de semana, nas quais o ministro dos Negócios Estrangeiros avisou o Bloco de Esquerda para que não “ceda à tentação de fazer ultimatos” na negociação do OE2019, cuja aprovação diz abrir caminho à renovação do acordo à esquerda em 2019.

Para Jerónimo de Sousa, os contactos com o Governo com vista à elaboração do OE2019 constituem um “processo normal, muito idêntico a anos anteriores”, com o “compromisso de exame comum à proposta”. “Aliás, não percebo, tanta gente a falar de uma coisa que, por enquanto, não existe. Nem se discutiu uma só medida. Perante a proposta concreta, daremos a nossa contribuição, com as nossas propostas”, assegurou.

O secretário-geral do PCP sublinhou a intenção dos comunistas de continuar a reposição de rendimentos e direitos e reforçar o investimento nos serviços públicos, como a saúde, transportes ou educação, nomeadamente estender a gratuitidade dos manuais escolares a todos os alunos, ou seja, até ao 12.º ano de escolaridade.

Antes e depois das declarações aos jornalistas, Jerónimo de Sousa participou na manifestação “sim à Paz, não à NATO”, no largo Luiz de Camões, ao Chiado, condenando a “escalada militarista e federalista da União Europeia sob a batuta dos EUA”. “Não acompanhamos as posições do Governo e do Presidente da República, na medida em que não se situam num posicionamento em conformidade com a Lei Fundamental”, afirmou.

Para o líder comunista, “Portugal é um país e um povo pacíficos, amantes da paz, que defendem a cooperação, o relacionamento entre povos e países, a amizade, e não a guerra”. “Acho curiosa até a contradição – estão sempre a dizer que não há dinheiro para nada e para reforçar as verbas para o armamento são uma fartura de milhares de milhões de euros que fazem muita falta para resolver problemas do nosso povo e país”, disse.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Professores

A Justiça e os Professores

Arnaldo Santos
431

Justiça é dar a cada um aquilo que é seu e cada professor deu o seu trabalho no tempo de congelamento na expetativa de ter a respetiva retribuição relativa à progressão na carreira: o que é seu é seu.

Benefícios Fiscais

Se calhar mais valia ter ido…

António Maria Cabral
177

Por que motivo um jogador de futebol (Pepe) que receberá milhões de euros afinal “só” vai pagar metade de IRS? A resposta é nos dada pela Lei de Orçamento de Estado de 2019...

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)