Mário Centeno

Centeno garante que haverá reposição de rendimentos, mas pôr em risco a consolidação

O ministro das Finanças disse que os compromissos serão cumpridos, considerando que a poupança em juros permitiu criar margem para acomodar as medidas de reforço de rendimentos.

ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O ministro das Finanças, Mário Centeno, garantiu esta terça-feira no parlamento que o último orçamento do atual Governo vai manter a linha da recuperação de rendimentos, mas que isso não pode colocar em causa a consolidação obtida até aqui.

Numa intervenção inicial na comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, Mário Centeno disse que o Governo “tem feito o seu trabalho, honrando os seus compromissos, de forma responsável e ponderada”.

“O quarto orçamento desta legislatura seguirá essa mesma linha: aumento do rendimento disponível das famílias, recuperação do valor das pensões associado ao crescimento económico, investimento nos serviços públicos e conclusão em 2019 do processo de descongelamento das carreiras para além da reposição de direitos dos trabalhadores da Administração Pública”, afirmou Mário Centeno.

O ministro disse que estes compromissos estão assumidos e serão cumpridos, considerando que a poupança em juros permitiu criar margem para acomodar as medidas de reforço de rendimentos. No entanto, o governante defendeu que “o debate não pode fugir à sustentabilidade”.

“Não podemos adotar medidas com implicações orçamentais significativas que não estavam no Programa do Governo”, afirmou Mário Centeno.

“Não podemos colocar em causa a consolidação orçamental estrutural com medidas avulsas que implicam alterações orçamentais de forma avulsa”, insistiu, sublinhado que o Governo não colocará em causa a recuperação do país. A terminar a sua intervenção, Mário Centeno salientou que o Governo não se deixará “iludir por ganhos fáceis ou efémeros”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: [email protected]
Serviço Nacional de Saúde

A Saúde para o PSD

Fernando Leal da Costa

O importante é que a gestão por privados não resolve o problema do acesso, que só será parcialmente resolvida adotando um modelo de seguro público, geral e talvez obrigatório, concorrente dos privados

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)