Quinze dos 58 arguidos, do grupo de motociclistas Hells Angels, foram inquiridos esta manhã de sábado, prevendo-se que, até ao final do dia, o Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa interrogue um total de 36 detidos, segundo fonte judicial.

A ‘maratona’ foi interrompida às 13h45, e deverá ser retomada pelas 15h00, de acordo com a mesma fonte, estando previsto que, durante a parte da tarde, conforme o tempo disponível, sejam ouvidos 21 arguidos, 19 com o mesmo advogado, mais os dois únicos, do total de detidos, que pretendem prestar declarações.

O interrogatório judicial recomeçou hoje pelas 10h30, no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, depois de, na sexta-feira, terem sido ouvidos os primeiros 20 arguidos, sem que nenhum prestasse declarações sobre os factos que lhes foram imputados pelo Ministério Público (MP).

Para hoje estavam previstos interrogatórios a 30 arguidos detidos, mas fonte do tribunal disse hoje que deverão ser ouvidos 34.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo fonte judicial, dois arguidos manifestaram interesse em falar sobre os factos.

Vários advogados disseram estar inclinados para que as medidas de coação a aplicar sejam privativas da liberdade, tendo em conta as concentrações de motociclistas que se realizam este mês em Faro e em agosto em Góis.

Os arguidos estão indiciados por associação criminosa, tentativa de homicídio, roubo, ofensa à integridade física e tráfico de droga.

Um 59.º elemento encontra-se detido na Alemanha.

A investigação do caso dos Hells Angels foi elaborada pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal e pela Unidade Nacional Contraterrorismo da Polícia Judiciária e os mandados de busca e de detenção foram executados na quarta-feira.