O Presidente da Venezuela expressou solidariedade para com o seu homólogo da Nicarágua, Daniel Ortega Saavedra, devido à violência vivida no país, acusando os EUA de seguirem o mesmo guião terrorista que no passado aplicaram à Venezuela.

“Todo o nosso apoio incondicional ao comandante presidente Daniel Ortega Saavedra, à companheira Rosário Murillo [vice-Presidente], à Frente Sandinista de Libertação Nacional e ao povo nicaraguense que vencerá a violência e o terrorismo”, disse Nicolás Maduro, esta terça-feira, em Havana, durante o XXIV Encontro do Fórum de São Paulo.

“Estão a aplicar o método que nos aplicaram em 2014 e no ano passado”, afirmou Maduro. “A Venezuela teve de suportar dias contínuos de agressões na rua, de grupos pagos pela Embaixada dos Estados Unidos, de grupos violentos”, argumentou o Presidente venezuelano.

Durante o discurso no Encontro do Fórum de São Paulo, Maduro considerou ainda ter havido “uma campanha mediática mundial, multiplicada, para apresentar uma Venezuela em caos, às portas de uma guerra civil e um Governo ditatorial reprimindo o povo que protestava”. Para o Presidente Venezuelano está a ser utilizada a mesma campanha contra a Nicarágua e contra o seu presidente, Daniel Ortega Saavedra.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Presidente da Venezuela disse ainda estar seguro que na Nicarágua “triunfará a paz e vencerá a paz”.

Desde 18 de abril que a Nicarágua é palco de manifestações e confrontos violentos. Os manifestantes acusam o Presidente Daniel Ortega e a mulher e vice-Presidente, Rosario Murillo, de abuso de poder e de corrupção. Daniel Ortega está no poder desde 2007, após um primeiro mandato de 1979 a 1990. Segundo a Associação Nicaraguense pelos Direitos Humanos (ANPDH), pelo menos, 351 pessoas morreram e 261 estão desaparecidas na Nicarágua.